Imprimir
 

 

 Mauro

ASSESSOR DE COMBATE E CONSCIENTIZAÇÃO ACERCA DA DIABETES

MJF Mauro Luís Bernardino (10/12)

CaL Neila Fernanda N. Bernardino (04/04)

(16) 3406-1213 (16) 99180-5002 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

LC de Franca

 

Sedentarismo: livre-se desse mal!

Atualmente, o sedentarismo é considerado uma doença. Vamos entender o porquê?

Lembremos que o músculo não apenas sustenta e protege nosso corpo, mas também funciona como um grande produtor de substâncias denominadas miocinas que regulam a função de vários órgãos aumentando o metabolismo, melhorando a composição corporal, reduzindo a massa de gordura e aumentando a própria massa muscular.

Uma dessas miocinas benéficas é a irisina, responsável principalmente pela transformação do tecido adiposo.

Na verdade, temos 3 tipos de tecido adiposo:

– o branco, principal local de armazenamento de energia, de gordura do nosso corpo;

– o marrom, rico em mitocôndrias que são estruturas da célula responsáveis pela geração de calor e

– o bege que inclui células adiposas semelhantes ao tecido adiposo marrom.

Esse último tipo de tecido adiposo é formado por células produzidas por um processo denominado amarronzeamento do tecido adiposo branco. Através desse processo, um tecido de armazenamento (branco) torna-se ativo e produtor de calor (tecido adiposo marrom).

– E o que provoca esse processo de transformação da célula de gordura? Esse processo de amarronzeamento?

– A irisina.

Transformando o tecido adiposo branco em marrom, a irisina não só aumenta a produção de energia como também melhora a tolerância à glicose, aumenta a resposta do organismo à ação da insulina e consequentemente melhora o controle da glicemia.

Além da irisina, durante a contração, o músculo produz outras miocinas: a interleucina 6 (IL6) e BDNF (Fator Neurotrófico Derivado do Músculo).

Vejamos qual a função de cada uma delas.

A IL-6 nos protege contra infecções e aumenta os níveis de uma substância denominada GLP1 (peptídeo semelhante ao glucagon) que é produzida pelo intestino e que reduz o apetite. Dessa forma, o exercício também nos ajuda a comer menos!!!!

O BDNF ativa circuitos cerebrais fundamentais para a memória e a cognição.

Essas miocinas também agem no osso. Na verdade, diariamente nós perdemos e ganhamos osso. As miocinas aumentam a formação e reduzem a perda, tornando o nosso osso mais forte e saudável.

Sendo assim, através da produção de irisina, de IL6 e de BDNF, o músculo em movimento nos protege contra doenças metabólicas, cardiovasculares, neurológicas e ósseas, dentre outras.

Entretanto, quando estamos sedentários, o músculo em repouso não produz essas miocinas benéficas e passa a produzir outra miocina denominada miostatina que impede o seu próprio crescimento e pode prejudicar a ação das outras miocinas. Isso explica porque o indivíduo sedentário apresenta várias doenças como perda de massa muscular (sarcopenia), obesidade, diabetes, aumento de colesterol, hipertensão, câncer e demência, entre outras.

Em 460 a.C., Hipócrates já nos dizia: “caminhar é o melhor remédio para o homem”.

Portanto, levante do sofá, se anime e mexa o seu principal órgão produtor de energia: SEU MÚSCULO!

Evite esse grande mal: O SEDENTARISMO

CITAÇÕES:

Fiuza-Luces C, Garatachea N, Berger NA, Lucia A. Exercise is the real polypill. Physiology (Bethesda). 2013;28(5):330–358. doi:10.1152/physiol.00019.2013

Giudice J, Taylor JM. Muscle as a paracrine and endocrine organ. Curr Opin Pharmacol. 2017;34:49–55. doi:10.1016/j.coph.2017.05.005

Kim S, Choi JY, Moon S, Park DH, Kwak HB, Kang JH. Roles of myokines in exercise-induced improvement of neuropsychiatric function. Pflugers Arch. 2019;471(3):491–505. doi:10.1007/s00424-019-02253-8

Dra. Andréa Messias Britto Fioretti