Fala3

Como preparar, organizar e dirigir uma

Assembleia Ordinária de Lions Clube

PDG ANTONIO DOMINGOS ANDRIANI

            A assembleia ordinária de um Lions Clube também deve primar pela observância do protocolo .   Este, se observado, servirá não apenas para aprimorar a prática leonística como, também, para fazer com que a reunião transcorra de forma ágil e num clima agradável e de elevado grau de companheirismo.

            Comento abaixo, com o intuito único de colaborar, aquilo que, no meu modesto entendimento, deve ser o desenvolvimento de uma assembleia ordinária do Clube.

            Ato 1.º:  No horário estabelecido o Presidente ou a Presidente bate o sino.

            Comentário:  Os associados do Clube devem fazer o possível e comparecer no local da reunião cerca de dez minutos antes do horário marcado para seu início.  Horário foi feito para ser cumprido.  É preciso acabar com o péssimo costume de se marcar uma reunião às 20:30 horas para que ela comece pelo menos meia hora depois.  Deve-se, acima de tudo, respeitar aqueles que sempre chegam no horário.  No horário determinado pela convocação, o Presidente ou a Presidente deve bater o sino e iniciar os trabalhos.  Aqueles que eventualmente chegarem após o início da reunião, devem se acomodar em silêncio e evitar, inclusive, qualquer tipo de cumprimento para não atrapalhar o andamento dos trabalhos.

            Ato 2.º:  O Presidente ou a Presidente abre os trabalhos:  “Invocando a Deus, e pela grandeza do Brasil, declaro aberta esta assembleia ordinária do nosso Lions Clube”.

            Comentário:  Depois da abertura protocolar, será sempre elegante o Presidente ou a Presidente solicitar um minuto de silêncio pela paz mundial e pelo registro de algum acontecimento que, eventualmente, tenha envolvido algum associado ou seus familiares e que mereça a solidariedade do Clube.

            Ato 3.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e solicita que os presentes permaneçam em pé (e não de pé), e convida algum Companheiro, Companheira ou Domadora para que proceda a leitura da Invocação a Deus.

            Comentário:  O indicado ou indicada não deve repetir a expressão “Invocação a Deus”.  Esta já foi solicitada pelo Presidente ou pela Presidente.  Está existindo, em nosso meio, uma diversidade muito grande de invocações.  No leonismo, porém, deve ser proferida aquela usual e que foi adotada oficialmente no leonismo brasileiro, aprovada durante a 29.ª Convenção Nacional de Lions Clubes do Brasil, realizada em maio de 1982 na cidade de Balneário Camboriú (SC).  Trata-se de um monólogo de fé, que nos inspira e conduz aos mais elevados ideais do leonismo.  Durante a leitura da Invocação, os presentes devem se manter com postura firme e respeitoso silêncio e, ao final, repetirem “Assim seja”.

            Ato 4.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino, solicita que os presentes permaneçam em pé, e convida todos para entoarem a primeira estrofe e coro do Hino à Bandeira.

            Comentário:  Durante a entoação da primeira estrofe e coro do hino, na forma oficial da letra de Olavo Bilac e música de Francisco Braga, os presentes devem cantar com moderação, com os braços estendidos junto ao corpo (alguns preferem colocar a mão direita postada à altura do coração, o que também é regulamentar), e dentro da maior mobilização possível.  Nota-se, comumente, a falta de respeito de alguns participantes quando da entoação do hino: uns olham para o teto, outros para o chão, alguns para os lados, e tem aqueles que chegam a conversar e, até mesmo, ficam coçando esta ou aquela parte do corpo.  O posicionamento de cada um deve ser firme e respeitoso, sempre olhando diretamente para o pavilhão nacional.

            Ato 5.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e solicita que todos ocupem seus lugares.

            Comentário:  Cerca de um minuto é mais que suficiente para que todos se acomodem e se coloquem em posição de participar da assembleia.

            Ato 6.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e solicita ao CL Secretário para fazer a leitura da ata da reunião anterior e das correspondências recebidas durante o período.

            Comentário:  Depois da leitura da ata pelo Secretário, o Presidente ou a Presidente indaga aos participantes se existe alguma correção ou acréscimo a ser feito no documento.  Se houver, solicita que o Secretário registre.  Depois, o Presidente submete à aprovação da assembléia, o texto da ata, inclusive com as retificações ou acréscimos que houver.  Se aprovada, o Presidente ou a Presidente solicita ao Secretário que registre a aprovação, indicando se foi por unanimidade ou maioria.  Na sequência, o Secretário informa sobre as correspondências recebidas no período, registrando em ata uma síntese das mesmas.  Deve-se recordar, sempre, que a ata representa a memória do Clube e, portanto, tudo deve ser registrado.  O Secretário informa, também, sobre o quórum registrado na assembleia.

            Ato 7.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e solicita que o CL Tesoureiro faça as comunicações sobre as finanças do Clube e leitura do balancete mensal, se houver, comparando receitas e despesas.

            Comentário:  O Tesoureiro comenta a situação financeira do Clube.  Sempre é bom lembrar que o Tesoureiro não é o “cobrador do Clube”.  Ele deve ser procurado e não procurar os interessados para que cumpram suas obrigações junto à tesouraria.  Todas as movimentações ou pagamentos efetuados pelo Tesoureiro devem ser reportados ao Secretário, através de fotocópias, para que conste da ata dos trabalhos e sejam anexadas ao Informe Mensal de Atividades do Clube.

            Ato 8.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e passa a palavra ao Diretor Social para que este reporte os fatos relacionados com a sua pasta.

            Comentário: O Diretor Social deve anunciar os aniversariantes e datas comemorativas do período, anunciar as programações do Clube e prestar contas dos eventos realizados no período anterior.  Sempre é bom lembrar que os eventos do Clube são programados pela Diretoria, competindo à assembleia aprová-los ou não.  Havendo a presença de convidados ou visitantes na assembleia, compete ao Diretor Social fazer a saudação em nome do Clube.

            Ato 9.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e passa a palavra para o Diretor de Associados a fim de que ele comente as atividades da sua área.

            Comentário:  É importante a atuação do Diretor de Associados na estabilidade do quadro social do Clube.  Ele deve incentivar Companheiros e Companheiras para viabilizar a apresentação de novos associados.  Deve orientar os padrinhos para que dêem acompanhamento leonístico aos novos associados, integrando-os nas atividades do Clube e acompanhando o desenvolvimento de cada um.  Se, durante a assembléia, estiver presente algum candidato a associado já aprovado, o Diretor de Associados deve comandar uma auto apresentação, que deve ser simples e objetiva.

            Ato 10.º:  Na sequência, o Presidente ou a Presidente deve conceder a palavra aos demais diretores do Clube (Diretor de Informática, Diretor de GMT, Diretor de GLT e Diretor do Centenário) para que os mesmos, desejando, usem a palavra para comentar eventuais registros em suas respectivas áreas.

            Comentário:  É importante que esses diretores informem os presentes sobre os fatos que estejam ocorrendo em suas pastas.  Os associados precisam conhecer o que acontece nos bastidores do Clube e se mantenham informados, inclusive para opinarem e dar sugestões.

            Ato 11.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e convida o Companheiro, Companheira ou Domadora previamente convocado para fazer a Instrução Leonística.

            Comentário:  A instrução leonística é a forma de se manter os associados do Clube, independentemente do tempo de afiliação de cada um, atentos e conscientes a respeito da filosofia do movimento leonístico, das leis que o regem, da sua organização e, acima de tudo, da importância do nosso envolvimento com o legado que nos foi deixado por Melvin Jones.  E uma das formas de manter viva essa chama de ideais é incentivar e incrementar a realização de instrução leonística durante as assembleias.  O autor da instrução leonística deve, preferencialmente, traze-la por escrito, para que, ao final, uma cópia seja entregue ao Secretário a fim de constar em ata a ser encaminhada à Governadoria juntamente com o Informe Mensal de Atividades.  O Presidente ou a Presidente, em cada assembleia, deverá convidar algum dos seus membros para fazer a instrução leonística da assembleia seguinte.

            Ato 12.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e declara jaula aberta.

            Comentário:  A jaula aberta é a parte prática da assembleia.  Nesta ocasião, o Presidente ou a Presidente comenta sobre os assuntos que ficaram em pendência e quais as soluções encontradas ou providências tomadaspropõe, com base em sugestões apresentadas, atividades que poderão ser realizadasindica medidas que o Clube deverá tomar junto às autoridades para solução de determinados problemas existentes na comunidade, entre outros.  Todos os assuntos sugeridos ou medidas a serem tomadas devem ser aprovadas pela assembleia.  Durante a jaula aberta, o Presidente ou a Presidente deverá comandar a participação dos membros da assembleia, solicitando que as participações sejam feitas uma a uma, individualmente, a fim de evitar choques de comentários ou discussões que possam tumultuar os trabalhos.  E essa atuação do Presidente ou da Presidente é de relevante importância, pois depende dele cuidar da forma e condução dos assuntos que estiverem sendo discutidos, evitando que a reunião se torne excessivamente burocrática, prolixa e cansativa.  O Presidente ou a Presidente deve se esmerar em descomplicar a assembleia e torná-la mais eficiente e objetiva, ou seja, mais agradável.  Querer mudar o protocolo ou inovar sem medir as consequências é deixar de lado os procedimentos que garantem a grandeza do leonismo.

            Ato 13.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino e solicita que algum Companheiro ou Companheira faça a “Oração pelo Brasil”.

            Comentário:  É uma conclamação cívica de amor ao estudo e ao trabalho e da grandeza da nossa Pátria, que deve ser repetida com fervor pelos participantes da assembleia.

            Ato 14.º:  O Presidente ou a Presidente bate o sino, agradece a presença dos participantes e da sua diretoria nos trabalhos, marca a data e horário da próxima assembleia e solicita uma salva de palmas pelo êxito da reunião e ao Pavilhão Nacional, e da por encerrada a reunião.

            Comentário:  O agradecimento é uma forma elegante do Presidente ou da Presidente encerrar a assembleia.  Deve agradecer todos aqueles que tiveram funções durante a reunião: quem fez a Invocação a Deus, o Secretário, o Tesoureiro, o Diretor Social, o Diretor de Associados, os demais Diretores que participaram, quem fez a instrução leonística, quem fez a Oração pelo Brasil e todos aqueles que tiveram participação ativa durante a jaula aberta.  A confirmação da data da próxima assembleia também é indispensável; para os ausentes, o Presidente ou a Presidente recomenda ao Secretário que os comunique pessoalmente.

Comentários  

0 #1 Sonia Maria Géra 28-10-2015 11:00
:lol: muito boa esta instrução, acredito sempre que, sonhar é preciso . Se não sonhamos, não temos esperança e, sem esperança não chegaremos a lugar algum.
Um grande abraço!
Citar

Adicionar comentário

Cuidado com os termos para não ser banido.


Código de segurança
Atualizar

Instalação Gab.LEO 

1ª REUNIÃO DISTRITAL DO GABINETE DO LEO CLUBE LC-6 EM VOTUPORANGA
1
1
0
0
1
1
3
3
0
0
1
1
0
0

Usuários Online 

Temos 30 visitantes e Nenhum membro online

Login 

Bem Vindo ao Distrito LC-6!

Distrito LC-6

Visitantes

1514359
Hoje
Ontem
Esta Semana
Última Semana
Este Mês
Último Mês
Total
1886
2279
13041
1415097
31133
58416
1514359

Seu IP: 54.225.38.2
17-08-2018 06:29

Curtir No FaceBook 

Scroll to top