Pode um Presidente de Clube ser Ateu?

PDG ANTONIO DOMINGOS ANDRIANI

            Não sou de fugir de polêmicas e nem de me desvencilhar dos temas que com elas estão relacionadas. E aqui vai um deles, sujeito a chuvas e trovoadas.

            Procurou-me um estimado Companheiro Leão, já bem antigo em nosso movimento, e relatou a seguinte questão: “O Presidente do seu Clube, por ser ateu, deixou de ler ou pedir para que algum associado lesse a ‘Invocação a Deus” no início das assembleias, e que isso estava causando um tremendo mal-estar”. Indagou se isso é correto e pediu minha opinião a respeito. Fiquei em dúvida para dar uma resposta de pronto. Disse-lhe que, dentro do meu modesto conhecimento, ia procurar analisar o caso para lhe dar um retorno. Dias depois lhe transmiti meu ponto-de-vista, baseado naquilo que passo a expor, em manifestação estritamente pessoal.

            O assunto é tão polêmico quanto antigo.

            Revendo meus arquivos, encontrei uma manifestação do meu saudoso amigo e ex-Leão Fridolino Probst, de Balneário Camboriú, Santa Catarina. No ano leonístico 1990/1991 ele foi coordenador do XVII Concurso Nacional de Publicações Leonísticas, já que foi o vencedor do certame anterior com seu excelente boletim “Leão Proeiro”. Diz ele, em seu escrito datado de fevereiro de 1992, que, da leitura atenta que fez dos boletins que recebeu dos participantes, pode observar muitos assuntos tanto interessantes quanto polêmicos; e que um destes era: “o ateu pode ser Leão”.

            Com base naquele escrito, e aliado a outras observações pessoais, vou procurar listar os fatos para tentar chegar a uma conclusão que, por ser pessoal, pode e deve ser contestada.

            O Estatuto da Associação Internacional de Lions Clubes estabelece que “toda pessoa maior de idade e de reconhecida idoneidade moral e reputação em sua comunidade poderá ser associada de um Lions Clube devidamente constituído. ” O Estatuto Internacional é a lei maior do leonismo.

            Os Propósitos dos Lions Clubes, adotados pela Associação Internacional, estabelece em seus preceitos que um Lions Clube deve “Promover um fórum de livre discussão de interesses públicos, excetuando-se os assuntos de ordem política e religiosa, os quais não devem ser discutidos pelos associados no Clube.”

            A Resolução n.º 14-1962/1962 do antigo CNG-Conselho Nacional de Governadores, e ainda em pleno vigor, apesar da extinção do CNG e de nenhum Distrito Múltiplo ter procedido sua reedição, aprovou o uso da “Invocação a Deus” como praxe das atividades em reuniões leonísticas.

            Além disso, a Resolução n.º 230-1973/1974, também do CNG, recomendou que a abertura das reuniões leonísticas em todo território nacional seja procedida da seguinte evocação: “Invocando a Deus pela grandeza da Pátria e paz entre os povos da Terra, declaro aberta esta assembleia (ordinária ou festiva) do Lions Clube de ................................”.

            O ateu, ou aquele que assim se intitula, é uma pessoa sem religião, descrente da existência de um Ser superior e das coisas divinas, pois para ele tudo é matéria. Para o cristão, matéria e espírito se harmonizam.

            Diante disso, e num primeiro impulso, poder-se-ia dizer que um ateu não pode ser aceito no quadro associativo de um Lions Clube, pois vem à mente de todos a abertura inicial das nossas assembleias, quando se abre os trabalhos e se declama a “Invocação a Deus”.

            Mas isso, como disse, apenas num primeiro impulso, pois a realidade pode ter outra configuração e mostrar que o buraco é mais em baixo.

            Os preceitos leonísticos determinam que não devemos distinguir o credo de uma pessoa e que também não são permitidas discussões de sectarismo religioso nas assembleias dos Clubes.

            O Estatuto diz que se uma pessoa tem reconhecida idoneidade moral e respeito em sua comunidade pode ser associada de um Lions Clube. Não é feita qualquer referência à religiosidade ou credo dessa pessoa. Por isso, se um ateu observar as finalidades dos Propósitos dos Lions Clubes, cumprir rigorosamente os preceitos do Código de Ética, ter as qualidades intrínsecas de um cidadão de bem, ser competente nos misteres leonísticos, e principalmente ter as qualidades para servir desinteressadamente, ele pode perfeitamente tornar-se um Companheiro Leão. Ou seja, o cidadão que se diz ateu pode praticar todas as virtudes que facultará o seu ingresso no Lions. O importante é isso!

            A “Invocação a Deus” foi uma praxe adotada pelo CNG calcada tão somente na tradição cristã. Sua não declamação em nada modifica a filosofia do trabalho leonístico, nem torna menos religiosos os integrantes do nosso extraordinário movimento.

            Só que a “Invocação a Deus” é uma determinação para que seja lida no início das nossas reuniões e deve ser cumprida rigorosamente.

            E como fica o ateu nessa história?

            Uma coisa é uma coisa, outra coisa e outra coisa! No meu modestíssimo ponto de vista, o ateu poderá fazer parte do nosso movimento mas jamais ser Presidente do Clube ou ocupar outros cargos superiores na hierarquia leonística, pelas suas próprias convicções. Mas, como impedi-lo de pleitear o cargo? Aí o pepino, do tamanho de uma melancia gigante, ficará a cargo da assembleia geral do Clube, que, face ao que foi exposto, poderá votar contra e negar qualquer possível pretensão que ele tenha a respeito. Esse, e tão somente esse, o ônus que ele terá que suportar para estar entre nós.

            Devo esclarecer que, no meu círculo de relacionamentos, tenho extraordinários amigos que são ateus, um deles, inclusive, quase um irmão e Companheiro Leão. São amizades que muito me honram!

            Este é meu ponto de vista sobre o tema! E, sendo pessoal, fica sujeito a pancadas, chuvas e trovoadas...

Comentários  

0 #7 Leandro Nascimento 06-09-2016 20:13
Pelo que foi dito a resolução mencionada (230) recomendou a utilização da expressão ( Invocando a Deus). Ora, se é uma mera recomendação e não uma determinação ela é de utilização facultativa. Ressalto que não tive acesso à redação original da dita resolução.
Citar
0 #6 Mirian Prates 01-09-2016 21:14
Boa, noite CLMJ PDG Andriani
Em minha humilde opinião, antes de mais nada, o Presidente não pode e não deve ditar normas e regras. Ele é um líder, portanto haverá uma discussão entre os membros do clube sobre as suas ações a serem tomadas, sejam elas quais forem; em qualquer situação dentro do clube. Não cabe ao Presidente agir ou deixar de agir como bem entende.
Saudações leonísticas.
CªL Mirian Prates (Secretária AL2016/2017 - LCRJ Vila Valqueire - Distrito LC1 - Rio de Janeiro)
Citar
0 #5 joel vasconcelos 31-08-2016 17:35
Concordo com o CL OMAR NAHAS ,eu só me pergunto é quando um ateu tem entre seus familiares um doente terminal a quem ele busca conforto ?
Citar
+2 #4 Marco A. Maciel 29-08-2016 11:37
Realmente, desde que preencha os requisitos que lhe são esperados, qualquer um pode ingressar na instituição, e almejar cargos e funções. O que menos deve ser levado em conta são suas crenças.

Agora, me permito discordar do modo como o texto foi finalizado: cercear, ou mesmo "engessar" a busca por cargos e funções, dentro do movimento, apenas por não concordar com "fórmulas" (que, como você mesmo anotou, são de cunho cristão por "conveniência", não por outra razão) não me parece correto.

Seria como permitir a uma pessoa, que se teme poder incorrer em acidentes de trânsito o acesso a um veículo, mas negar-lhe as chaves!

Abraços fraternos.
Citar
-1 #3 PDG TATÃO 27-08-2016 11:31
Como o PDG fala em opiniões, a pessoa que é ateu, quando indicado por um outro sócio, deveremos ter cuidado para aceitar sua inscrição. Aí então ficará a cargo da assembleia do clube colocá-lo no quadro associativo ou não, dentro dos protocolos estabelecidos para cada clube.
O sócio que o indicou, após aceito mas antes de fazer parte do quadro associativo do clube efetuar uma explanação sobre o assunto. (é minha opinião)
Citar
+2 #2 Omar Nahas 26-08-2016 13:16
Caro CLMJ PDG Andriani. Com referencia ao CL ser Ateu ou um Pensador Livre, sinceramente não vejo o porque não ocupar o cargo de Presidente ou outro qualquer. Justifico. Desde que consciente da ritualística e diretrizes da Associação, obrigatoriamente deverá cumprir o que aceitou voluntariamente quando de sua admissão. Assim, o fato da Invocação ao ser lida, pode e creio que sim, não lhe dizer nada, mas ha de respeitar a crença dos demais honrando o compromisso acima assumido. Opinião pessoal.
Citar
+1 #1 Sorovisk 26-08-2016 11:25
Parabéns pela matéria, é de grande proveito.
Citar

Adicionar comentário

Cuidado com os termos para não ser banido.


Código de segurança
Atualizar

3º RGD 3 e 4 Fev/18 

Auriflama-SP 03 e 04 Fevereiro 2018
7
7
0
0

Usuários Online 

Temos 25 visitantes e Nenhum membro online

Login 

Bem Vindo ao Distrito LC-6!

Distrito LC-6

Visitantes

901743
Hoje
Ontem
Esta Semana
Última Semana
Este Mês
Último Mês
Total
173
1874
8962
807052
40436
64512
901743

Seu IP: 54.80.33.183
24-11-2017 07:05

Curtir No FaceBook 

Scroll to top