Associação Internacional de Lions Clubes – DMLC – Ano Leonístico 2020/2021

GOVERNADORIA DO DISTRITO LC-6

Rua São José, 2261 – Jardim Sumaré – CEP 14025-180 – Ribeirão Preto - SP

CARTA MENSAL DE MARÇO da

Coordenadoria Geral do Distrito LC-6

                                                     Ribeirão Preto, 01 de março de 2021

                                                    

Destinatários: PRESIDENTES DE CLUBES DO DISTRITO LC-6

                                                                

“Só tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar” (Abraham Lincoln)

MENSAGEM DO GOVERNADOR:

São as chuvas de março findando o verão... Sempre será a música que deixou saudade em sua letra e a saudade de uma cantora admirada por muitos.

Estamos começando o mês de março, e gostaria de pedir que as chuvas de março levassem embora todas as coisas ruins, e que transformasse tudo o que estamos passando em algo de um passado que não deixasse legado apenas de coisas ruins, como tivemos até o último mês de fevereiro. Este foi um mês de notícias não muto boas. Foi assim, aparentemente, que finalizamos o mês de fevereiro.

No Lions temos enfrentado todos os problemas de forma tranquila e que tem dado ótimos resultados devido à garra de cada um de nós.

O apoio que temos recebido tem nos ajudado a superar obstáculos para darmos continuidade ao nosso planejamento.

Temos notado também que, em alguns Clubes, devido às causas advindas com esse turbilhão de problemas advindos com a pandemia que estamos vivendo, alguns Companheiros, Companheiras e Domadoras estão desanimados, muitas vezes por não poderem agir presencialmente nos momentos mais necessários para ajudarem e auxiliarem as pessoas nas comunidades.

A paciência é um fator alto nesses momentos e o auxílio a quem necessita é muito precioso e tem de acontecer.

Vamos estar sempre preparados com relação àquilo que os vigilantes da saúde nos orientam, cuidando muito da nossa saúde para que, passando a pandemia, podermos nos confraternizar presencialmente.

Foquei, e infelizmente como eu disse durante nossa 3.ª reunião do Comitê do Gabinete Distrital, quatro Clubes em nosso Distrito LC-6 que foram declarados em status quo no início do mês de janeiro. Tiveram os meses de janeiro e fevereiro para solucionar seus problemas com Lions Internacional no que diz respeito às taxas devidas à Associação. Confesso que estou postando esta mensagem e não sei qual foi o desfecho da situação, pois até 26 de fevereiro havia prazo para pagamento que, consequentemente, poderia livrar os Clubes do fechamento. Neste início de março, certamente, teremos notícias. A notícia que eu gostaria de transmitir seria a de que tudo foi superado e resolvido satisfatoriamente, pois para fundarmos clubes é um projeto tão trabalhoso e, de repente, o fechamento joga pelos ares os trabalhos que os Companheiros e envolvidos tiveram para fundá-los. Vamos meditar também sobre isso dentro do nosso Distrito LC-6.

Nossa caminhada continua e vamos fazendo nossas visitas presenciais de acordo com as possiblidades nossas e dos Companheiros, Companheiras e Domadoras nos Clubes.

           

            DG MJF Antonio Paulo Caliento, Governador do Distrito LC-6

EDITORIAL:

Será que estamos nos preparando para o funeral do protocolo leonístico?

A literatura ensina que o protocolo é irmão da etiqueta e da educação, filho do bom-senso e das boas maneiras.   Na teoria isto e lindo, muito lindo!   Só que, na prática, alguns membros da família leonística estão tratando esses nossos parentes de forma deselegante; e, em alguns casos, até mesmo vexadoramente.   E a constatação desse fato depõe contra a excelência que deve envolver e nortear nossas atividades.

Alguns atos que tenho observado, nos últimos tempos, chega às raias do absurdo. Principalmente levando-se em conta que agressões inadmissíveis contra o protocolo leonístico têm sido praticadas por Leões que estão há longos anos no movimento. E estes, pelo menos, têm por obrigação conhecer um mínimo que seja das regras que devem conduzir nossas solenidades. Ou, se não conhecem, devem perguntar e pesquisar. Isso não é desdouro para quem quer que seja, já que ninguém nasce sabendo.

Que absurdos são estes? Exemplicando, e para não saturar a paciência de ninguém, vou comentar três situações constatadas:

1) - Por mais que o assunto tenha sido discutido e martelado, ainda são cometidos erros lamentáveis quanto ao posicionamento das bandeiras nos respectivos mastros ou suportes. Presume-se que cada Clube deve ter, em seus arquivos, dezenas de instruções e orientações sobre a ordem de colocação das bandeiras; basta apenas consultar. Participei de uma importante solenidade distrital. As bandeiras colocadas nos mastros para hasteamento não obedeciam sua ordem protocolar. E, pasmem, nesta solenidade convidaram um graduado dirigente leonístico - que por sinal foi o orador oficial do evento - para hastear uma bandeira que estava no lugar errado. Prefiro acreditar que o rubor que se apossou do seu rosto foi originado pelo sol que no momento brilhava sobre o local...

2) - Formação da mesa dirigente tem sido outro ponto de desacato ao protocolo leonístico. Especialmente em solenidades de Clubes. O puxa-saquismo natural para com as pessoas da comunidade, que evidentemente merecem as honrarias, só que nos lugares que lhes competem, foi por mim observado em inúmeras oportunidades. Ora são vereadores ou representantes do prefeito que são declinados em detrimento a Ex-Governadores presentes; outras vezes presidentes de Rotarys ou Lojas Maçonicas são convidados antes de dirigentes leonísticos graduados; até mesmo prefeitos são chamados antes de Ex-Governador Imediato ou Vice-governadores do Distrito, caso presentes estejam E assim a barca vai, cada vez mais desgovernada, simplesmente por falta de quem a conduza com zelo e competência.

3) – E o Mestre de Cerimônia? Em alguns casos a atuação chega a ser lamentável. Menos por culpa dos Companheiros convocados para as funções, sem conhecê-las, mas por culpa exclusiva dos Presidentes e Diretores Sociais, aos quais cabe a definição do protocolo e a orientação de todos que estejam envolvidos na programação.   Existe aquele Mestre de Cerimônia que pega o microfone no início da festiva e larga somente no fim, cometendo inclusive o sacrilégio conceder ou anunciar a palavra de dirigentes. Tem outro que gosta de imitar o apresentador de telejornal, comentando toda notícia que divulga. Há também aquele que gosta de fazer introduções sobre as qualidades pessoais de Companheiros, quando não das suas próprias, relatando que fez isso ou aquilo. Se não bastasse, antes de devolver o colar faz uma longa peroração, cheia de citações e salamaleques, para agradecer penhoradamente o privilégio de ter sido designado para as funções. Sinceramente, não há... tempo que não estoure. O Mestre de Cerimônia é peça importante numa assembleia, pois a ele cabe uma parte da direção dos trabalhos. Mas ele deve conhecer as regras e saber aplicá-las, pois é somente executor de um ritual; nada mais que isso.

Como disse, esses são apenas três exemplos, pois se fosse relatar dezenas e dezenas de outras falhas que tenho observado provavelmente este editorial iria longe demais.

Existem culpados pela degringolada que está havendo no desprezo e desrespeito ao protocolo leonístico? Claro que sim! Somos todos culpados! Eu, você, Presidentes de Clubes, Presidentes de Divisão e Região, Assessores, Ex-Governadores e o próprio Governador do Distrito. Cada um deve atuar no limite da respectiva competência para tentar salvar um dos mais lindos procedimentos leonísticos: nosso protocolo.

Senão? Bem, senão vamos nos preparar para o funeral do protocolo leonístico. Mas, por gentileza, que nas exéquias, como despedida final, sejam utilizadas flores roxas e douradas para simbolizar as cores oficiais do Lions, cuja observância será, de certa forma, um meio de nos lembrarmos do protocolo leonístico.

                       PDG MJF Antonio Domingos Andriani, Coordenador Geral do Distrito LC-6

 

MARÇO, MÊS DO GOVERNADOR DO DISTRITO:

O mês de março de cada ano é denominado por Lions Internacional como “Mês do Governador”, devendo os Clubes homenagear o dirigente máximo distrital, fazendo com que sinta o quanto é estimado e o que dele espera todo o Distrito e o leonísmo durante o seu ano leonístico.

Nosso DG MJF Antonio Paulo Caliento, que tem enfrentado sérios obstáculos à sua ação administrativa face à pandemia que, desde o início da sua gestão, em julho passado e que persiste até hoje, tem demonstrado uma garra inigualável para vencer esta situação adversa, procurando desenvolver sua gestão, mesmo à custa de sacrifícios, inclusive pessoais, de forma a conduzir nosso LC-6 com a competência que só é atribuída aos fortes.

Ele tem se dedicado com garra, afinco, motivação, determinação e amor por um leonismo com mais mãos para servir e qualidade nas ações, demonstrando o orgulho de ser Leão e que servir é um ato de amor.

Parabéns, Governador Caliento. Por tudo o que você demonstrou no transcorrer deste ano leonístico, enfrentando obstáculos mas sabendo enfrenta-los com sabedoria e abnegação. Seus auxiliares diretos, e todo corpo associativo do LC-6, o cumprimentam efusivamente por, mesmo assolado pela pandemia, ter mantido nosso Distrito no ápice do mundo leonístico brasileiro.

 

DIA INTERNACIONAL DA MULHER:

Comemora-se no dia 08 de março, em todo mundo, o “Dia Internacional de Mulher”. A data foi instituída em 1910, durante o I Congresso Internacional da Mulher, realizado em Copenhague, na Dinamarca. Foi escolhida para homenagear as 129 mulheres operárias da fábrica têxtil Cotton, de Nova Iorque, nos Estados Unidos, que foram tragicamente assassinadas em 08 de março de 1908, por promoverem uma greve contra as péssimas condições de trabalho a que eram submetidas, excesso de horas diárias, salários miseráveis, morriam de tuberculose e outros fatos que atentavam contra os direitos humanos. Diante das reivindicações, o patrão fechou as portas e ateou fogo na fábrica, fazendo com que as 129 mulheres morressem carbonizadas.

No ano de 1911, no “Dia Internacional da Mulher”, os direitos das cidadãs foram consubstanciados na “Carta do México”, firmada pelo Comitê das Nações Unidas. Essa carta é constituída de 18 pontos que definem os direitos da mulher.

Depois desses acontecimentos históricos, a mulher começou a conquistar o justo espaço na vida comunitária, mas, infelizmente, até hoje, algumas discriminações são perpetradas. Nas últimas décadas, a mulher vem se destacando e ocupando importantes cargos e espaços na sociedade.

Aqui no Brasil, a Constituição Federal promulgada em 05 de outubro de 1988, trouxe uma inovação em seu título II, capítulo I, que trata dos direitos e deveres individuais e coletivos, assegurando em seu artigo 5.º, inciso I, igualdade em direitos e obrigações entre homens e mulheres. Apesar da Carta Magna estar em vigor a quase 33 anos, esse dispositivo legal ainda não está totalmente sacramentado, pois a mulher, em determinados aspectos, ainda continua enfrentando certas discriminações. A sociedade, antigamente, determinava a posição que a mulher ocupava, ou seja, estabelecia o papel que deveria desempenhar perante o convívio social, sem, contudo, sequer poder expor seus sentimentos, vontades, capacidades, enfim, seu grande potencial e suas virtudes, além daquelas que lhe eram impostas. Foi condicionada, durante anos e anos, a baixar a cabeça e aceitar tudo como se realmente seu único lugar fosse aquele estabelecido por uma sociedade preconceituosa. Hoje, graças à sua força, garra e grande luta, a mulher conseguiu alcançar e ser reconhecida pelo seu real valor social. Foi uma grande vencedora. “O sacrifício de subir a montanha é compensado pela paisagem que descortinamos do alto.” (Dinamor).

O dia 08 de março é um marco de reconhecimento e valorização da mulher. Nada mais justo, portanto, que a data mereça carinhoso reconhecimento da nossa família leonística.

Na figura da minha adorável e amada Domadora e Companheira Leão Nadir, transmito um carinhoso abraço às dulcíssimas Domadoras e Companheiras Leão do nosso querido Distrito LC-6.

 

DIA DO LIONS COM AS NAÇÕES UNIDAS:

Na medida em que a Segunda Guerra Mundial se alastrava, líderes das nações aliadas já vislumbravam além do fim do conflito e mantinham conversações sobre um órgão mundial para a preservação da paz, uma entidade que fosse mais forte que a ineficaz Liga das Nações. Os Leões apoiaram essa idéia. Em 1943, em Cleveland, na Convenção Internacional, os Leões endossaram uma resolução da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, pedindo um mecanismo internacional de preservação da paz assim que a luta terminasse.

Em fevereiro de 1945, Melvin Jones juntou-se a líderes de outros grupos nacionais que se reuniram com o Secretário do Tesouro (Henry Morgenthan Jr) e o Secretário adjunto para Assuntos Públicos (Archibald MacLeish) para discutir a formação de uma Organização das Nações Unidas. Em abril do mesmo ano a sede de Lions pediu aos clubes para realizarem a semana da Organização das Nações Unidas em demonstração de apoio à iniciativa.

Lions Clubs International foi uma das primeiras organizações não-governamentais convidadas a auxiliar na elaboração da Carta da ONU. Melvin Jones, o Presidente Internacional do ano (D. A. Skenn, de Salt Lake City, Utah) e o futuro Presidente Internacional (Fred W. Smith, de Ventura, Califórnia) ajudaram a formular a secção de ONGs da carta e participaram no desenvolvimento de missão humanitária da ONU. Em 26 de junho de 1945, a Carta da ONU foi assinada por representantes de 50 países.

Dois anos mais tarde, em 1947, em reconhecimento à importância de Lions Clubes a sua missão, a Organização das Nações Unidas concedeu a Lions status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social da ONU, comprometido com o bem-estar das pessoas em todo o mundo. Lions e a ONU têm compartilhado muitas metas comuns e trabalhando juntos para promover a paz e a prosperidade.

A cada ano, Lions e a ONU comemoram o seu bom relacionamento. Iniciado em 1978, o Dia do Lions com as Nações Unidas convoca os líderes do governo, empresas e do setor sem fins lucrativos para explorar soluções às necessidades globais prementes. O evento anual incluí uma palestra feita por um reconhecido líder mundial, discussão em painéis de especialistas e, desde 1989, a cerimônia de premiação para os vencedores do Concurso do Cartaz sobre a Paz de Lions Clubs International incentivando os jovens a expressarem suas perspectivas sobre a paz. O Dia do Lions é marcado por uma recepção para os diplomatas da ONU, Leões, palestrantes e convidados para comemorar este relacionamento tão especial e duradouro.

Neste ano de 2021, o Dia do Lions com as Nações Unidas será comemorado no dia 20 de março, na sede da ONU em Nova Iorque.

 

FILOSOFIA LEONÍSTICA:

Vou tentar conversar com vocês sobre a filosofia leonística, que é uma das pilastras de sustentação da edificação leonística.

Filosofia significa “amor à sabedoria”.

Desde a fundação de Lions Internacional, os associados de um Lions Clube, presumivelmente, são instruídos sobre a filosofia que deve nortear sua atuação. Ou seja, o conjunto de documentos, estudos ou considerações que reúnem uma ordem determinada de conhecimentos que servem de fundamento para o aprimoramento do movimento leonístico.

A preparação deve ser efetuada de tal modo que o neófito seja devidamente conscientizado do que significará, para ele, a condição de associado do maior clube de serviços do mundo, e não associado de um clube social ou esportivo.

Transmitir a filosofia leonística a um novo associado, como entendemos, deve constituir um verdadeiro processo de doutrinação. Não é uma questão de proselitismo, mas uma questão de conscientização.   Isso não é tão difícil, desde que seu padrinho, ao escolhê-lo para indicação, já tenha detectado as qualidades inerentes à sua condição de futuro Companheiro ou Companheira.

Depois da posse, o padrinho não poderá deixar seu afilhado ou afilhada, e respectivo cônjuge, sozinhos e esquecidos. É necessário e indispensável que o padrinho faça com que eles entendam seu papel, apresentando-lhes tudo o que se refere à filosofia tão extraordinária que nos foi deixada por Melvin Jones e seus leais seguidores.

E onde buscar esses ensinamentos? Nos documentos que estão disponíveis a partir da integração do associado no Clube. Vejamos:

No COMPROMISSO DE POSSE DO LEÃO, que é uma promessa que o Companheiro ou a Companheira assumiu quando do seu ingresso no Clube. Com essa promessa, o associado passa a exercitar uma responsabilidade que o colocará ao lado dos demais componentes do Clube, no cumprimento das tarefas que lhe serão confiadas, no sentido de cumprir rigorosamente o Código de Ética, os Propósito, os Estatutos e as ideias que fluem das letras formadas pela palavra Lions: Liberdade, Igualdade, Ordem. Nacionalismo e Serviço.

No CÓDIGO DE ÉTICA DO LEÃO, em que seu comportamento como Companheiro ou Companheira estará perfeitamente delineado, indicando-lhe o perfil de cidadão que o Clube espera dele: ter fé nos méritos da sua profissão; defender sua remuneração ou lucro, justamente merecidos; ser leal com os clientes e sincero consigo mesmo; decidir quando em dúvida contra sua própria pessoa; praticar a amizade como um fim e não como um meio; ter sempre presente seus deveres de cidadão, para com sua localidade, seu estado e seu país; ajudar os seus semelhantes em suas necessidades; ser comedido na crítica e generoso no elogio.

Nos PROPÓSITOS DO LIONS CLUBE, que lhe mostram as finalidades para as quais o movimento leonístico se propõe, onde são destacados: sua responsabilidade como cidadão; espírito de respeito e consideração entre os povos; estudo e prática dos princípios de boa cidadania; manutenção de um bom companheirismo e compreensão mútua; ativo interesse pelo bem estar cívico, cultural, social e moral da comunidade; livre discussão de todos os assuntos de interesse público, exceto de política partidária e sectarismo religioso; promoção de valores éticos em seus negócios e profissões.

Nos ESTATUTOS E REGULAMENTOS do seu Clube, do Distrito, do Distrito Múltiplo e de Lions Internacional. Onde se encontram definidos os conceitos e práticas adotadas no movimento, com indicação sobre as maneiras de atuar e buscando-se a harmonia entre todos os que dela participam.

No PROTOCOLO LEONÍSTICO, no qual se definem algumas regras sobre hierarquia, constituição de mesas de trabalho, representação nos eventos, uso dos símbolos leonísticos e nacionais, e outros elementos essenciais ao bom desempenho e boa apresentação dos Clubes e dos seus componentes.

Afora esses documentos básicos, existem inúmeras publicações esclarecedoras, fruto do trabalho denodado de Leões que se dedicam a aprofundar o conhecimento do que recomenda a prática leonística, para os seus Companheiros e Companheiras.

Assim, não se pode falar em falta de material didático para quem de fato quer conhecer a realidade do movimento leonístico, contida em sua filosofia.

Existem ainda os eventos leonísticos em diversos níveis, como Comitês Assessores, Reuniões do Conselho Distrital, Convenções Distrital, do Distrito Múltiplo L e Internacional, além dos fóruns, seminários e palestras que são realizados frequentemente e que complementam os elementos fundamentais.

Durante as assembleias ordinárias dos Clubes, a INSTRUÇÃO LEONÍSTICA faz parte da programação, constituindo-se num ponto de destaque da reunião. E nessa ocasião que um Companheiro ou Companheira previamente designado profere breve alocução tratando de assunto leonístico de relevância.

Com o conhecimento adquirido, através desses documentos, juntamente com a participação nos eventos programados, aliado ao interesse que lhe foi despertado pelo seu padrinho, não existe dúvida que a pessoa do novo associado estará perfeitamente identificada com o perfil do Leão que se deseja para o fortalecimento e crescimento do leonismo.

Sem esses conhecimentos, e diante de um eventual desinteresse do novo associado e do seu padrinho, fatalmente esse pilar de sustentação da edificação leonística apresentará lesões que com o tempo poderá causar o desabamento da instituição.

 

COMPANHEIRISMO, OUTRA IMPORTANTE PILASTRA DA NOSSA EDIFICAÇÃO:

O companheirismo é outra importante pilastra da edificação leonística!

Ser companheiro não é somente ser mais um associado do movimento leonístico; não é apenas participar das reuniões do seu Clube e cumprimentar amigavelmente os que ali estão presentes, mal ouvindo o que está se discutindo na plenária, pois a conversas paralelas podem lhe parecer mais interessantes; não é apenas frequentar as assembleias festivas, geralmente realizadas em hotéis ou clubes sociais de primeira linha, que faz questão de indicar quando se discute o assunto, e mesmo assim ter oportunidade de reclamar do cardápio, do atendimento e das instalações.

Da mesma forma, ser companheiro não é, eventualmente, comparecer aos eventos leonísticos e ficar no vestíbulo dos auditórios ou nos bares da vizinhança, conversando e bebericando, após um abraço apertado naqueles a quem encontra em ocasiões semelhantes, pois, para alguns, esta é uma das oportunidades de reviver tantas coisas que o tempo e a distância até já tinham jogado no esquecimento, e de colocar em dia alguma “fofoca” que ouviu “à boca pequena”.

Ser companheiro é muito mais do que isso!

É o sentimento da verdadeira fraternidade que deve passar a constituir o dia-a-dia de quem se integra ao movimento leonístico. E essa fraternidade não se restringe aos momentos em que os Companheiros, Companheiras e Domadoras se encontram nas reuniões do Clube, ou nos eventos, ou quando viajam juntos para algum conclave. Lógico e evidente que nessas ocasiões também se pratica o companheirismo.

O companheirismo a que nos referimos é mais aquela irmanação que faz com que cada um passe a conviver os bons e os maus momentos que atingem os associados do leonismo; é participar das alegrias, vitórias e desafios, e também das tristezas, revezes e desapontamentos.

O companheirismo que o movimento leonístico propugna é a solidariedade, é a lealdade, é a imorredoura comunhão – a comum-unidade, onde se perpetua uma interligação entre cada um e os demais, seus familiares e seus amigos.

Que coisa maravilhosa é o companheirismo que não estabelece distinções, seja de categorias profissionais, ou na hierarquia leonistica, quando deixa de existir o senhor, o doutor, o excelentíssimo, todos sendo apenas e unicamente Companheiros.

Companheirismo é também sinceridade. A sinceridade é uma das grandes qualidades do ser humano. E, se para as pessoas comuns assim o é, mais ainda é essencial a qualquer Leão. Ser sincero, ser leal nas palavras, nos atos e até nos pensamentos. Saber elogiar, quando o elogio for merecido, e saber divergir, criticar construtivamente, quando conscientemente se faz necessário.

Ser Companheiro é ser aquele irmão escolhido, sem vínculo sanguíneo, com uma relação afetiva que, pela aproximação, às vezes, até maior do que os legítimos irmãos, proporcionam uma verdadeira integração familiar.

Nesse companheirismo a que nos referimos temos como fundamental a participação da Domadora e da Companheira Leão.   A mulher, pela feminilidade, tem mais presente o sentimento de espiritualidade, de sensibilidade maior às coisas menos materiais.

Os programas de companheirismo que o Clube passe a promover certamente atingirão efeitos bem mais surpreendentes quando co-orientados pelas mulheres. As atividades terão um suporte carinhoso, que somente elas são capazes de oferecer, principalmente quando em residências de Companheiros e Companheiras.

O toque feminino a qualquer evento social lhe dá um maior realce, conduz a peculiaridades, ora na ornamentação, na seleção musical, na confecção dos convites, na animação, em suma, de tudo o que deixará uma marca de bom gosto e de refinamento, mesmo nas coisas mais simples.

Uma realidade que deve ser observada: evidente que, nos casos de congraçamento nas residências de Companheiros, os gastos ocorridos devem ser fraternalmente partilhados entre todos os participantes. Muitas vezes o casal anfitrião deseja arcar com o ônus financeiro da festividade, o que deve ser indispensavelmente evitado; basta aos recepcionistas o ônus da organização. Isso é fundamental ao companheirismo, dentro do espírito de irmanação e igualdade.

Vamos praticar o companheirismo?

 

COMPROMETIMENTO COM O LIONS:

O ilustre PCC Antonio Carlos Tozzi Henriques, de Belo Horizonte, e que durante o ano leonístico 2007/2008 presidiu o Conselho de Governadores do DMLC, é autor de uma frase lapidar: “É bom contar uma história. Melhor ainda é fazer parte dela.”   E isso dentro do lema “comprometimento com nossa história”.

Não é de hoje que se afirma, com certeza insofismável, que o crescimento e o fortalecimento do Lions depende fundamentalmente do comprometimento com o nosso salutar movimento.

Dúvidas não existem que somente se formos coesos e solidários, trabalhando coletivamente, é que poderemos sedimentar o caminho que nos leva para prestação de um real serviço desinteressado.

Muitos dizem que o Lions de hoje já não é o mesmo, que não tem a mesma eficácia demonstrada em anos anteriores. Qual a causa dessa assertiva? Será que os antigos e inesquecíveis Companheiros eram mais capazes? Ou será que somos nós que não estamos preparados – ou com vontade – de oferecer o que nossas comunidades necessitam?

É certo que nosso trabalho é voluntário, que depende das possibilidades e limites de cada um. Só que precisamos exercer esse trabalho diante dos desafios que estão à nossa frente. O mundo caminha celeremente para uma modernidade cada vez mais envolvente. Precisamos acompanhar essa modernidade, sem olvidarmos, contudo, de aproveitarmos as ferramentas que ela nos oferece para ampliar nossas ações no serviço leonístico.

O leonismo está numa fase de transição? O volume das nossas atividades está em decréscimo? O que está acontecendo? Onde estamos errando?

Os culpados por essa degringolada, nos Clubes onde isso acontece, são os próprios Companheiros, Companheiras e Domadoras. Não apenas pela omissão, mas inclusive pela inconsequente vontade de agir uns contra os outros, sem que vislumbrem a noção exata do prejuízo que estão causando. Hoje, infelizmente, em muitos Clubes aqueles que querem ajudar são mal vistos, criticados e até mesmo injuriados.

Mas esse fato, que é lamentável, não deve arrefecer nem a mim e nem a cada um de vocês que temos “comprometimento com o Lions”.

Pessoalmente continuo primando por um leonismo sadio, depurado, que certamente irá sobrepujar os obstáculos e atingir o caminho cada vez mais vitorioso que lhe reserva o futuro. Isso é possível?   É! Depende de cada um de nós

                                                             

É SEMPRE AQUELA MEIA DÚZIA DE SEMPRE...:

É muito comum encontrarmos um Clube onde se diz que, ali, é sempre aquela meia dúzia que “segura as pontas e não deixa a peteca cair”.

É comum também, entre os grupos dos mais abnegados, vez ou outra ouvirmos um deles dizer que vai “acabar largando tudo e ir embora para casa”.

São situações corriqueiras e vivenciadas no nosso dia-a-dia.

Mesmo sendo difícil trazermos os mais acomodados para uma participação mais direta em nossas atividades, devemos sempre avaliara e compreender o posicionamento de cada um, nunca deixando de dar a atenção que todos merecem.

Existe melhor coisa a fazer do que seguir o exemplo de Cristo?

O apóstolo João, em seu Evangelho, já asseverava que “ELE sabia o que havia nas pessoas.” É uma verdade divina!

Jesus não ignorava o que existia nas pessoas, mas nunca se deixou impressionar negativamente.

Sabia que a usura morava com Zaqueu, contudo, trouxe-o da sovina para a benemerência.

Não desconhecia que Madalena era possuída pelos gênios do mal, entretanto, renovou-a para o amor puro.

Reconheceu a vaidade intelectual de Nicodemos, mas deu-lhe novas concepções da grandeza e da excelsitude da vida.

Identificou a fraqueza de Simão Pedro, todavia, pouco a pouco, instala no coração do discípulo a fortaleza espiritual que faria dele o sustentáculo do Cristianismo nascente.

Vê as dúvidas de Tomé, sem desampara-lo.

Conhece a sombra que habita em Judas, sem negar-lhe o culto da afeição.

Jesus preocupou-se, acima de tudo, em proporcionar a cada alma uma visão da vida, aquinhoando cada espírito com eficientes recursos de renovação para o bem.

Não devemos, pois, condenar o próximo porque nele observamos a inferioridade e a imperfeição. A exemplo de Cristo, devemos ajudar em tudo o que podemos.

O Amigo Divino sabe o que existe em nós. ELE não desconhece a nossa pesada e escura bagagem do pretérito, nas dificuldades do nosso presente, recheado de hesitações e de erros, mas nem por isso deixa de estender-nos amorosamente suas mãos.

Vamos compreender e aceitar os mais acomodados!

 

TRIBUTO A ARMANDO FAJARDO:

Muito já se falou e escreveu que os valores do leonismo, tanto éticos como históricos e culturais, estão em sua memória. Na verdadeira história do nosso movimento a memória deve falar mais alto. É ela que alimenta os princípios que se acumularam durante a existência do Lions, quando se estabeleceram regras de convívio, normas de comportamento e tudo mais aquilo que foi se sedimentando ao longo aos anos. Quem dispensa a memória está aniquilando nossos valores. Se não cuidarmos da nossa memória, quem garantirá a preservação da nossa história?

E quando falamos em memória não podemos olvidar a inesquecível figura daquele que trouxe o leonismo para o Brasil: ARMANDO FAJARDO, o nosso Leão n.º 1.

Falar de Armando Fajardo é falar da própria história do leonismo brasileiro!

Historiadores do nosso movimento cantaram e têm cantado em prosa e verso a vida e a atuação de Fajardo na consolidação do leonismo em nosso país. Dentre estes, um destaque especial deve ser creditado ao festejado e saudoso CL Alexandre Campos da Costa e Silva, PDG 1971/1972 do Distrito LC-1, que era meu amigo pessoal, e que vive e conta Armando Fajardo em sua obra “Uma história do leonismo no Brasil”. Foi de Alexandre que recolhi algumas pérolas para esta homenagem a Armando Fajardo.

Conheci que Fajardo nasceu no Estado do Rio de Janeiro, na cidade de Santa Maria Madalena, em 12 de outubro de 1893. Que seu pai era tabelião e seu avô fazendeiro. Que era um menino sonhador e viveu no interior fluminense até os 13 anos, onde seu maior prazer era armar arapucas para pegar inhambus e juritis, para apreciá-los em seus viveiros, mas sem jamais utilizar um estilingue. Que depois dos 13 anos aventurou-se sozinho para a cidade do Rio de Janeiro a fim de continuar seus estudos. Que fez o secundário no Internato Pedro II, onde se destacou na área esportiva. Que, depois, iniciou seus estudos na medicina mas abandonou o curso, desviando-se para a advocacia, que era seu verdadeiro objetivo. Que socorria seus companheiros de estudo e boemia em apertos financeiros, valendo-se dos recursos que lhe eram fornecidos pelo pai, ao qual fez questão de ressarcir tão logo se ajeitou no primeiro emprego, não por orgulho, mas por questão de princípios. Que esteve entre a vida e a morte em 1921, face a uma apendicite supurada, que o deixou de “molho” por cerca de dois anos. Que a doença atrasou seu casamento com a amada Blanche “Branca” Tavares, em 1924, e de cuja união não resultaram filhos. Que entrou para o serviço público e, por reconhecida capacidade, ocupou vários cargos importantes até chegar ao Ministério da Educação, só não ocupando o cargo de Ministro por motivos pessoais. Que era detentor de vários títulos e cargos importantes, tanto no Brasil como no exterior. Que, entre todos os títulos, o que mais o orgulhava era o de “Fundador do Leonismo no Brasil e Leão n.º 1 da nossa pátria”. Que no leonismo ocupou nos planos distrital e internacional os mais detacados cargos: o primeiro Governador do Brasil e membro da Junta de Relações Internacionais. Que na 11.ª Convenção Nacional dos Lions Clubes do Brasil, realizada em Salvador, Bahia, em maio de 1964, recebeu o título de “Patrono do Leonismo Brasileiro”. Que faleceu em 13 de junho de 1969, aos 76 anos, e foi sepultado no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

O ingresso de Armando Fajardo no leonismo foi grandemente influenciado pelo uruguaio Pedro Berro, de quem era particular amigo e, coincidentemente, tinham a mesma profissão e os mesmos interesses (advogados e turfistas). Fajardo estava em Montevidéu, em dezembro de 1951 (era diretor do Jockey Clube Brasileiro), assistindo uma prova que levava seu nome, numa homenagem por haver pacificado os turfistas uruguaios, ao lado de Pedro Berro, quando soube da existência do Clube de Leões da capital uruguaia, cujo fundador e presidente era seu estimado amigo. Fajardo conheceu as finalidades e beleza dos propósitos da Associação de prestar serviços desinteressados e da congregação humana, sentindo de imediato que tudo aquilo era inerente aos sentimentos que sempre nutriu, ou seja, um Leão que era e sempre seria. Sentiu, ainda, o desejo que o amigo Berro tinha em expandir o leonismo para o Brasil. Foi a senha para que inúmeras reuniões, com idas e vindas, fossem realizadas entre Fajardo e inúmeros dirigentes leonísticos da América Latina. Fajardo aceitou o desafio de trazer o leonismo para o Brasil, embora ações nesse sentido já estivessem sendo entaboladas na cidade de São Paulo.   Depois de correspondências mantidas com dirigentes da Associação Internacional, Fajardo iniciou o movimento para agregar as pessoas que seriam os fundadores do Clube de Leões do Rio de Janeiro. Após grande esforço, conseguiu juntar vários amigos e pessoas influentes. No dia 16 de abril de 1952, às 12:00 horas, em concorrido almoço no Jockey Clube Brasileiro (avenida Rio Branco 137/139), no Rio de Janeiro, foi fundado o primeiro Clube de Leões do Brasil, tendo como presidente Arnaldo de Morais (Fajardo não aceitou a presidência) e um corpo associativo de 40 fundadores.

Posteriormente, na medida que tomava providências para a expansão do leonismo no Brasil, Fajardo disparava medidas para organização de novos Clubes (três meses depois foi fundado o Clube de São Paulo), administração e adaptações que se fizessem necessárias, pois tudo aquilo que na ocasião era normatizado pela Associação Internacional contava apenas com literatura em inglês e espanhol. Fajardo manifestou seu descontentamento quanto a isso, pois certas expressões não condiziam com a realidade e sentimento brasileiro. Tanto é que as expressões “Domador” e “Tuercerrabos” do Informe de Organização de Clubes, impressos em espanhol e traduzidos de “Temer” e “Tailtwister” do inglês, foram adaptados para “Diretor Social” e “Diretor Animador”. Fajardo adaptou também a expressão “Jefe de Zona” (do inglês Zone Chairman) para “Presidente de Divisão”. A partir daí, modificações radicais foram sendo introduzidas. No dia 02 de julho de 1952 foi discutida a proposta para que se adotasse o nome de Lions Clube ao invés de Clube de Leões. O acróstico em uso na ocasião, que era “Liberdade, Entendimento, Organização, Nacionalidade, Esforço e Serviço” (retirado das letras que formavam a palavra LEONES em espanhol) foi substituído por “Liberdade, Inteligência, Ordem, Nacionalidade e Serviço”. O primeiro Distrito Provisório “L” do Brasil foi iniciado no ano leonístico 1953/1954, tendo Fajardo como Governador. A partir de então o leonismo brasileiro deslanchou e transformou-se na pujança que hoje domina o território nacional.

Fajardo era um homem rígido no cumprimento do dever e exigia que ao Lions fosse dado o respeito que merece. Para ele, leonismoo era uma questão de honra. Aqueles que com ele conviveram atestaram a seriedade que dava ao movimento, do repúdio que mantinha por determinados comportamentos e da sua franqueza, duríssima, a combater Companheiros que a todo custo queriam fazer do leonismo um trampolim para suas pretensões pessoais ou àqueles que, sem competência, queriam chegar a cargos mais altos.

A semente de tudo foi ARMANDO FAJARDO, cidadão e chefe de família exemplar, a cuja visão, entusiasmo e amor à nossa causa dedico esse modesto tributo.

 

HOMENAGEM DO LIONS A PESSOAS BENEMERENTES DA COMUNIDADE:

Quando um clube de serviço, como o Lions, decide prestar homenagem a uma pessoa que, embora não pertencença ao nosso movimento, notabiliza-se por atividades que a destacam como cidadão ou cidadã benemerente, não está fazendo nada mais do que cumprir aquilo que é estatuído pelos nossos Propósitos, pois o ato fomenta um espírito de compreensão, interessa-se pelo bem-estar cívico, une pelos laços de amizade e incentiva quem recebe a homenagem a servir sua comunidade sem benefício próprio.

É uma atividade que engrandece o leonismo e serve de base para que o Lions continue se integrando à comunidade.

Agora, é muito grande a responsabilidade do Clube para que a homenagem seja realizada condignamente.

O evento normalmente acontece durante um jantar ou coquetel de confraternização. Neste, a diretoria do Clube anfitrião deve atuar para que o protocolo seja rigoroso, a fim de que a homenagem não caia nas raias da mesmice de sempre e do exagero exacerbado das manifestações, tornando-a demorada, enfadonha e, o que é pior, passíveis de críticas pelos presentes.

Para uma solenidade desse porte geralmente são convidados muitos amigos da pessoa que é digna das honras, sejam ou não pertencentes ao quadro associativo do Clube ou do leonismo.

A atração principal é o homenageado! Por isso, a diretoria do Clube deve lhe reservar o maior espaço de tempo para sua manifestação, onde certamente desfilará seu histórico e apresentará sua mensagem de agradecimento. Da parte do Clube, apenas um orador deve destacar o benemérito e o objetivo da honraria, através do Presidente ou algum associado destacado pelo mesmo.

E muito comum, em solenidades desse quilate, que muitas pessoas queiram se manifestar para saudar o homenageado e ressaltar suas qualidades. É bastante compreensível! Só que a diretoria do Clube não deve permitir essas manifestações ou apartes, pois todas as virtudes da figura principal do evento certamente constarão da manifestação oficial do seu representante. Além disso, sempre que a jaula é aberta nessas ocasiões, afora o grande atraso que ocasiona à solenidade, possibilita uma eterna e desagradável repetição das mesmas coisas e fatos, e geralmente isso aborrece a paciência da plateia, causando desconforto. Experiências já vividas nos dão a certeza dessa assertiva. A diretoria do Clube, sempre que ocorrer o pedido de palavra de algum convidado para falar sobre o homenageado, deve, respeitosa e diplomaticamente, declinar do pedido e informar que os tributos ao mesmo serão rememorados durante a manifestação oficial do representante do Lions, e que os interessados poderão cumprimentar ou reiterar os elogios ao benemérito, pessoalmente, durante o jantar ou coquetel de confraternização.

Os dois marcos da solenidade são o homenageado e o Clube. A estes dois, e apenas a eles, deve ser dada a primazia das manifestações.

Uma observação final: caso o homenageado não seja cidadão brasileiro, a bandeira do seu país, ao lado da brasileira, deve ser ostentada no suporte de bandeiras do Clube. É um detalhe que não deve ser olvidado pelo protocolo.

 

O VALOR DA FAMÍLIA:

No mundo conturbado de hoje, que está atravessando um dos seus períodos cíclicos dos mais difíceis, sentimos que a falta de amor está infundindo incertezas que podem comprometer a própria estabilidade familiar.

Os órgãos de comunicação adentram nossos lares trazendo as mais aterradoras notícias, como se o mundo tivesse enlouquecido. Conflitos em todas as partes do globo, desarmonia e lutas fraticidas, governantes que não ocupam o lugar que deveriam ocupar. Parece que todos se esqueceram da sua missão de harmonizar, de dar exemplos necessários e principalmente de amar. Parece, inclusive, e infelizmente, que se esqueceram de Deus.

Sem amor o mundo não vive e a humanidade sofre as maiores dificuldades e humilhações. E isso, em particular, acaba influenciando a vida familiar.

Existe hoje, em todo mundo, questionamento a respeito da família. E nós, QUE PERTENCEMOS AO LIONS, carecemos conhecer esse questionamento, para um reencontro com a posição da unidade familiar.

Todos têm suas responsabilidades e devem ocupar seus espaços no universo da família. Esta mensagem, embasada na insignificância da nossa humildade, traz o propósito de um despertar para essa realidade.

Não precisamos de institutos para que fundamentem estudos sobre a família. Basta, apenas, que todos abram seus corações e procurem alcançar o horizonte infinito que está ao alcance daquele que têm uma visão cristã.

A família, que normalmente nasce de uma paixão da juventude, cresce com seus problemas e contratempos. Na família todos dependem de todos. A harmonização se funde com a compreensão de que cada um dos seus membros tem dons diferentes, e que, então, diferentes são os modos de ação. É extremamente importante o respeito pela ansiedade alheia. E lembrar-se, sempre, que só quem faz de sua casa um lar de família integrada e feliz pode se aproximar de Deus.

Como poderemos manter a família unida pelos laços da fraterna harmonia? Estendendo a mão generosa que irradia calor humano; pronunciando palavras meigas e doces que levam o entusiasmo e inspiração àqueles que nos rodeiam e são caros; distribuindo o olhar alegre que abra o coração e faça o sorriso fluir; ter sempre o semblante sereno e amigo que infunde felicidade; ensinando que nossos braços podem erguer aqueles que estão caídos à beira da estrada da vida; postando as mãos e agradecendo a Deus pelas suas bênçãos.

Alguém já disse que amar não é apenas olhar um para o outro, mas todos olharem na mesma direção.

Vamos buscar o amor dentro da nossa família, olhando todos na mesma direção, pois somente assim conseguiremos a chave que abrirá todas as portas da felicidade familiar. Eu ano minha famíia! Ame a sua também! E que Jesus ilumine a todos.

 

O LIONS E A COMUNIDADE:

Eu tenho algumas preocupações e dúvidas todas as vezes que vou escrever algma coisa sobre Leonismo, e vou lhes dizer porquê. Como advogado, embora já aposentado e desatualizado há muito tempo, penso juridicamente, e como Leão tenho condicionamentos pessoais e algumas regras comportamentais que me impus.

O termo advogado significa muito mais do que a descrição clara e coerente de um fato. Para o advogado, primeiro precisa-se do contexto de um fato, e isto envolve um processo, processo no qual se converte a teoria em algo prático.

Cada um de nós julga e avalia o que vê, conforme aquilo que tem na prateleira da sua memória.

Projetamos nas coisas os sentimentos e as experiências que temos arquivados como cristais da aprendizagem da nossa existência.

Vamos pegar um exemplo clássico: numa viagem tranquila, num belo dia de sol, um trem vai passando por campos verdejantes. Num dos vagões estão pessoas de atividades diferentes.

Em uma de suas janelas, um médico avaliava, apropriadamente, o quanto que a vida no campo, longe da poluição das cidades, poderá fazer pela melhor qualidade de vida e da saúde de toda a humanidade: o ar puro, o contato com a natureza.

Na outra janela, um jovem advogado pensará na possibilidade de se tornar inventariante do rico proprietário daquelas terras tão valiosas. Resolveria sua situação financeira e ficaria famoso.

Em que pensaria, na outra janela, um negociante de gado que retornava de quilômetros distantes, onde fora comprar uma boiada? Que aqueles campos se prestariam excelentemente para engordar os animais, que sempre perdem peso nessas viagens.

E assim por diante. O pintor veria na paisagem o fundo para uma bela tela. O engenheiro imaginaria quantos edifícios poderia construir. O dono de uma serraria, lá na última janela, faria os cálculos de quantos metros cúbicos de madeira tiraria daquela mata. Além de um empedernido ecologista, desses de carteirinha do “Green Peace”, que descobriria razões de sobra para a sua luta pela preservação da vida e da natureza.       

Para escrever, portanto, sobre o tema “Lions na Comunidade”, que é a paisagem que devo avaliar neste capítulo desta carta mensal, e nesta minha passagem pela estação da vida, não posso correr o risco de proceder como advogado, e sim como Leão.

Lions. O que é o Lions? Fugindo das definições tradicionais contidas na literatura leonística, pode-se dizer simplesmente que o Lions é um Clube de prestação de serviços, onde se reúnem pessoas de bem e de boa vontade que descobriram o seguinte: reunidos de forma organizada, é possível fazer muito mais pelo bem-estar e melhoria de suas comunidades, do que agindo como indivíduos isoladamente. Como se vê, o Lions está intrinsecamente ligado à comunidade.

Sempre é bom relembrar que comunidade é o conjunto de pessoas que vive e mora num determinado espaço territorial, em grupos sociais. Todos sabemos que uma característica da sociedade civilizada é que as pessoas sentem-se na obrigação moral de ajudar os seus vizinhos em dificuldades.

Numa primeira ordem de verificação, há os que inclinam-se a ver nisto uma obrigação social, com o Governo como um canal apropriado para assumir essa responsabilidade. Mas, segundo outro ponto-de-vista, essa assistência tem um caráter individual, e estabelece que os moradores de uma comunidade pobre não estão livres de sua obrigação social, só porque existem pessoas ricas a pouca distância. E concluí que esse sentimento de obrigatoriedade, que prefiro chamar de solidariedade, é mútuo.

É nesse estilo que o Lions funciona como agente de ação comunitária. O indivíduo que recebe ajuda tem também a obrigação de usar este auxílio para melhorar sua situação na medida do possível. Por isso que o Lions, como organização, aparece como um pólo importante no funcionamento desse processo. Insisto mesmo que, em suas campanhas, o Lions sempre deve cobrar alguma ação construtiva dos beneficiados, especialmente quando oferece treinamento ou ensinamento, como condição de auxílio. É o que se chama ajuda pelo trabalho.

Dentro desse juízo, é bom assinalar os excelentes serviços que são realizados pelos Lions de Barrinha, Pontal, Ribeirão Preto-Ipiranga, Sertãozinho e Sertãozinho-Centenário, integrando-se às suas comunidades.

Na verdade, quais as obrigações da sociedade para com os pobres e o papel do Governo em desempenhar essas obrigações? Fora de vagos apelos à filantropia e frases soltas como “Tudo pelo Social” e outras, virtualmente só resta o silêncio. Aqui e ali, apenas a ação consciente de pessoas caridosas ou de pequenos grupos isolados.

É dentro dessa realidade que a situação vigente, meritória e desinteressada de Clubes de serviço, como o Lions, se sobressai, com a sua liderança mundial, com cerca de l,4 milhão de Leões em quase 200 países e regiões geográficas do mundo, prestando um serviço consciente de assistência, de ensinamentos e de preparação das comunidades onde age, sempre de forma objetiva, conseqüente e digna.

Sirvo-me, a título de ilustração, da famosa frase do presidente John Kennedy; “O país que não puder ajudar os seus pobres, que são muitos, não terá condições de salvar os ricos, que são poucos”.

E sabemos quanto é difícil e penoso conseguir a colaboração das classes mais favorecidas, e já que o Governo sozinho não vai nunca realizar um programa de alcance social adequado, sem a credibilidade do Lions e de outras organizações similares, parcerias são necessárias, importantes e complementares.

É uma lástima que os governos não vejam que são eles que mais têm a ganhar com essas parcerias.

Certamente há muito o que realizar, mas não se pode negar que os Clubes da Divisão D-1 têm do que se orgulhar, pelos trabalhos já realizados e outros tantos que serão desenvolvidos, proporcionando alegria e satisfação aos que pertencem a esse movimento, que só eleva aos que dele fazem parte.

Na verdade, esses resultados emocionam, porque são coletivos e falam mais alto que certos comportamentos inerentes à individualidade e às particularidades de cada Clube de Lions, e entre si.

É claro que a maré montante do trabalho Lions e a Comunidade tem muito a ver com as pessoas que o realizam, e, como em todos os grupos humanos existem pontos de asfixia e de estrangulamento, atrevo-me a dizer, agora como advogado, que, a despeito do quanto faz pela comunidade, o Lions mantém suas realizações praticamente encapsuladas.

Preocupa-me ver, e não posso calar diante da evidência, que aos poucos os Clubes de Lions vão se constituindo em verdadeiras ilhas, afastando-se cada vez mais uns dos outros.

Certamente esse não é o ideal, e pergunto-me tantas vezes: será que isso pode ser evitado? Tenho cá minhas dúvidas, porque sinto que a patologia do quadro já está hoje muito aprofundada

Sou um defensor intransigente de que mérito não se impõe, mérito se conquista. Entendo que o Lions está acima de interesses pessoais ou de ambições mesquinhas por cargos e títulos, que as próprias regras leonísticas, na sua sabedoria, reduz a períodos curtos, embora a vaidade humana teime em perpetuá-los indefinidamente. E quase sempre, imerecidamente.

Um Clube de Lions tem muito o que fazer e, infelizmente, sabemos que são poucos os que fazem, não sendo possível perder tempo com ações individualistas dentro do Clube, ou nos Distritos, quando a comunidade, no seu crescimento de dificuldades, que aumenta numa escala geométrica de problemas e de miséria, está cobrando cada vez mais as nossas responsabilidades diante dela.

Mas, falar dessa forma tem pouco a ver com o que faço ou com o que considero que sou. Reconheço que dedico escassa atenção - como tantos de nós certamente - aos assuntos mais importantes em que se engajam os Clubes de Lions. Por outro lado, lembro-me do fato de que, nos meus mais de 27 anos de leonismo, andei convencendo e convidando encarecidamente outras pessoas e até mesmo Companheiros do meu e de outros Clubes a seguirem ou continuarem nos caminhos recomendados pelos Estatutos, Objetivos e Código de Ética do leonismo.

Na minha vida leonística apadrinhei Companheiros, fiz muitas viagens, muitas instruções e tive, evidentemente, muitas alegrias. Será que devo me arrepender do gesto? Será que preciso emitir um desconvite solene, para não mais me sentir responsável por outros abnegados que se deixaram seduzir, talvez, por um raro lampejo do precário poder de convencimento?

Creio que a resposta a ambas as perguntas só pode ser um amável não. Não, porque continuo a pensar que o tipo de leonismo que advoguei outrora e que ainda advogo hoje é tão válido quanto sempre o foi. E amável, porque estou ciente do fato de que o leonismo não é o que alguns que se dizem Leões estão realmente fazendo.

Verifico, nesta altura da vida, do alto dos meus 80 anos, que em cada missão que assumimos, cada um de nós pode ser um soldado de luz ou um desertor apagado. E isto vale também para os que fazem parte do Lions, porque, reafirmo, mérito não se impõe, se conquista.

O que diferencia o homem dos outros animais é que ele tem um intelecto e uma vontade. Um intelecto através do qual ele é capaz de conhecer a verdade, e uma vontade pela qual ele é capaz de escolher o bem.

É essa a única e verdadeira forma e estilo, de ser Leão e de fazer leonismo”

 

LEMBRETE AOS PRESIDENTES DE REGIÃO:

Durante este mês de março, de acordo com o que dispõe a letra “n” do artigo 60 do Estatuto do Distrito LC-6, vocês devem realizar o Fórum Leonístico com os Clubes das suas respectivas Regiões. Sucesso!

 

LEMBRETE AOS PRESIDENTES DE CLUBES:

Este mês de março é o mês das prévias eleitorais. É o mês em que suas assembleias gerais devem eleger suas Diretorias para o ano leonístico 2021/2022.

Lembramos também, principalmente aos Secretários de Clubes, que no próximo mês de abril os formulários Pus contendo os dados dos diretores eleitos devem ser enviados para Lions Internacional.

 

A AGENDA DE VISITAS DO CASAL GOVERNADOR AOS CLUBES DO DISTRITO:

O casal Governador do Distrito já visitou oficialmente 08 Clubes:

- Lions Clube de São Sebastião do Paraíso

- Lions Clube de Novo Horizonte

- Lions Clube de Nhandeara-Aliança

- Lions Clube de Poloni

- Lions Clube de São Joaquim da Barra

- Lions Clube de Votuporanga

- Lions Clube de Cajuru

- Lions Clube de Votuporanga-Brisas Suaves

Outros 35 Clubes do Distrito já agendaram a visita oficialmente:

01 – 11/03/2021 – Lions Clube de Catantuva

02 – 16/03/2021 – Lions Clube de Monte Azul Paulista

03 – 18/03/2021 – Lions Clube de Auriflama

04 – 19/03/2021 – Lions Clube de Palmeira D’Oeste

05 – 20/03/2021 – Lions Clube de Guaíra

06 – 20/03/2021 – Lions Clube de Guaíra-Águas Correntes

07 – 25/03/2021 – Lions Clube de Potirendaba

08 – 26/03/2021 – Lions Clube de Cravinhos

09- 27/03/2021 – Lions Clube de Monte Alto

10 - 30/03/2020 – Lions Clube de Sertãozinho

11 - 30/03/2021 - Lions Clube de Sertãozinho-Centenánário

12 – 01/04/2021 – Lions Clube de Batatais

13 – 03/04/2021 – Lions Clube de Orlândia

14 – 06/04/2021 – Lions Clube de Guariba

15 – 07/04/2021 – Lions Clube de Ribeirão Preto

16 – 07/04/2021 – Lions Clube de Ribeirão Preto-Campos Elíseos

17 – 07/04/2021 – Lions Clube de Ribeirão Preto-Ipiranga

18 – 07/04/202’ – Lions Clube de Ribeirão Preto-Jardim Paulista

19 - 08/04/2021 – Lions Clube de Matão

20 – 09/04/2021 – Lions Clube de Jaboticabal

21 – 10/04/2021 – Lions Clube de Taquaritinga

22 – 14/04/2021 – Lions Clube de Votuporanga-Abílio Calile

23 – 14/04/2021 – Lions Clube de Fernandópolis

24 – 14/04/2021 – Lions Clube de Fernandópolis-Cidade Progresso

25 – 15/04/2021 – Lions Clube de Nhandeara

26 - 16/04/2021 – São José do Rio Preto

27 – 17/04/2021 – Lions Clube de Barretos

28 – 20/04/2021 – Lions Clube de Ituverava

29 - 21/04/2021 – Lions Clube de Franca

30 - 21/04/2021 – Lions Clube de Franca-Cidade Nova

31 - 21/04/2021 – Lions Clube de Franca-Imperador

32 - 21/04/2021 – Lions Clube de Franca-Sobral

33 - 21/04/2021 – Lions Clube de Franca-Inovação

34 - 21/04/2021 – Lions Clube de Pedregulho-Usina de Estreito

35 – 22/04/2021 – Lions Clube de Igarapava

Os demais 23 Clubes do Distrito não agendaram as visitas do casal Governador (Altinópolis, Brodowski, Dumont, Guará, Icém, Indiaporã, Ipuã, Jales, José Bonifácio, Miguelópolis, Mirassol, Neves Paulista, Olímpia, Olímpia-Energia, Ouroeste, Passos, Pontal, Santa Fé do Sul-Estância Turística, São José do Rio Preto-Sul, São José do Rio Preto-Letícia Arroyo, São Simão, Tanabi e Votuporanga-Grandes Lagos

Devemos registrar que, além das visitas oficiais aos Clubes, o casal Governador tem ainda uma série de agendamentos que são de sua atribuição (reuniões do Conselho de Ex-Governadores do Distrito, do Comitê do Gabinete Distrital, do Conselho de Governadores do Distrito Múltiplo LC, da Convenção Distrital, entre outras). A agenda completa do casal Governador está sempre publicada e atualizada no site oficial do Distrito LC-6 (www.distritolc6.com.br)

 

LUTO NO DISTRITO LC-6:

Registramos, com profundo pesar, os seguintes falecimentos durante o mês de fevereiro:

Dia 07 – CL Adelino Belline, Lions Clube de Jales

Dia 07 – CL Antonio de Oliveira, do Lions Clube de Icém

Dia 20 – CL Sílvio Biagi Neto, do Lions Clube de Dumont

Dia 24 – Cal Olga Daguer Bittar, do Lions Clube de Mirassol

O Governador do Distrito LC-6, DG MJF Antonio Paulo Caliento, face a esses lamentáveis passamentos, editou aa Resoluções n.ºs 34-2020/2021, 35-2020/2021, 36-2020/2021 e 37-2020/2021, decretando luto oficial de três dias no território distrital.

 

PARTICIPAÇÃO DOS CLUBES DO NAS HOMENAGENS DE FALECIMENTO:

O DG MJF Antonio Paulo Caliento, desde o início da gestão 2020/2021, adotou a prática de decretar luto oficial de 3 dias em todo o Distrito sempre ocorrer o falecimento de um Companheiro Leão, Companheira Leão ou Domadora.

A adoção dessa prática levou em conta que o luto é um sentimento profundo de tristeza, dor e pesar pelo falecimento de alguém; que é caracterizado por um período de consternação e saudade pela perda de um ente querido; e que, pela nossa unidade e irmandade leonística, temos o dever de refletir sobre a morte de alguém que, em vida, teve atuação significativa dentro do nosso movimento.

A Governadoria, deste o inicio do presente ano leonístico, e sempre que recebe a notificação do Clube envolvido com a ocorrência com um membro do seu corpo associativo, expede a resolução decretando luto oficial, que é distribuída para todo o Distrito.

Porém, essa justa homenagem aos nossos associados falecidos ainda dependia de uma necessária normatização para que os Clubes do Distrito participassem efetivamente do ritual.

E o que fez o DG Caliento para solucionar a questão?

Editou a resolução n.º 31-2020/2021, que entrou em vigor no dia 28 de janeiro de 2021, recomendando aos Clubes do Distrito LC-6 que, no início da primeira assembleia ordinária após o recebimento de uma resolução da Governadoria decretando luto oficial, seja guardado um minuto de silêncio pelo falecimento do Companheiro Leão, da Companheira Leão ou da Domadora. E que, durante essa reunião, a Bandeira do Lions fique hasteada a meio pau.

CONVENÇÃO INTERNACIONAL DE 2021 SERÁ VIRTUAL:

Devido às preocupações contínuas sobre a pandemia do coronavírus, a Diretoria Internacional votou pela transição da Convenção do Lions Clubs International de Montreal 2021 para um evento que será realizado totalmente online. Essa decisão foi tomada pensando na saúde e segurança dos nossos Leões, funcionários e fornecedores, pois limitar as viagens internacionais e grandes reuniões é a chave para as estratégias de contenção global.

Embora a Diretoria Internacional esteja desapontada por não poder hospedar esta evento pessoalmente, está empolgada em hospedar nossa primeira Convenção Internacional virtual que pode conectar Leões de todo mundo com segurança. A Diretoria Internacional ainda está finalizando os detalhes da sua nova experiência na convenção, que será compartilhada com você assim que estiverem prontos.

Aqui estão alguns detalhes importantes sobre a convenção virtual de 2021, que gostaríamos de compartilhar com você:

1) Todos estão convidados. Nossa convenção de 2021 será um evento virtual aberto a todos os Leões e Leos do mundo inteiro.

2) Taxas de inscrição. A taxa de inscrição será de US$50 até 31 de março. Depois de US$75 a partir de 01 de abril. A taxa de inscrição para Leos será de US$30. Independentemente da data. A convenção está programada para 25 a 29 de junho. Detalhes adicionais do evento e da inscrição serão fornecidos em breve.

3) Inscritos atuais. Os Leões atualmente inscritos para a convenção receberão um e-mail em breve com mais informações sobre as opções de inscrição.

4) Eleições. As eleições de dirigentes executivos e diretores internacionais serão realizadas eletronicamente e os procedimentos de votação serão divulgados.

5) Atualizações da convenção. Verifique o site da convenção LCICon para atualizações e detalhes da convenção assim que estiverem disponíveis.

6) Esta pandemia global de saúde forçou Lions Internacional tomar decisões e mudanças que colocam a saúde e a segurança em primeiro lugar. No entanto, estamos otimistas de que a cada novo dia há esperanças e, como Leões, continuamos a encontrar novas maneiras de nos mantermos conectados, servir com segurança às nossas comunidades e continuar nossa missão global de serviço.

 

Lions Internacional agradece sua compreensão durante este período desafiador para nossa organização e para o mundo, e agradece, também, seu incrível serviço como Leão.

 

DIRETORIA INTERNACIONAL TOMA MEDIDAS PARA AJUDAR OS CLUBES:

A pandemia do Covid-19 continua impactando o trabalho dos Leões em todo o mundo. Como você sabe, isso também criou dificuldades financeiras para os nossos Leões e para as pessoas de quem cuidamos.

Para apoiar os incríveis homens e mulheres que servem conosco, a Diretoria Internacional aprovou, por unanimidade, uma resolução para ajudar os nossos Clubes.

Segue abaixo uma visão geral da nova resolução aprovada pelo Conselho de Administração da Associação Internacional de Lions Clubes:

1) Isenção das taxas de admissão. Isenção de todas as taxas de admissão no período de 01 de janeiro a 30 de junho de 2021.

2) Pagamentos flexíveis.   Nenhum Clube em boa situação em 31 de dezembro de 2020 será suspenso ou cancelado até 30 de junho de 2021 por atraso no pagamento das cotas.

3) O pagamento total deve ser recebido antes de 30 de junho de 2021 para evitar a suspensão ou cancelamento.

4) Observe que os Clubes colocados em suspensão financeira em 31 de dezembro de 2020 permanecerão suspensos até que o saldo atual seja pago. Esses Clubes ainda precisarão resolver suas dívidas pendentes ou fazer arranjos para reembolso com o Departamento de Contas a Receber de Lions Internacional para evitar o cancelamento programado para 01 de março de 2021.

Essas medidas adicionais ajudarão os Leões a enfrentarem dificuldades financeiras e darão aos Clubes o apoio e o incentivo de que precisam durante esses tempos difíceis. Por mais de um século os Leões enfrentaram os maiores desafios da humanidade e, juntos, superaremos isso também.

O mundo precisa dos Leões agora mais do que nunca, então, obrigado por seu excelente serviço e compromisso com nossas comunidades e com o mundo.

 

QUAL O SEU QI EM LEONISMO?:

01. Descreva o que significa AGDL _________________________________________

02.O Dia Internacional do Leo Clube é comemorado em:

a) 06 de janeiro;

b) 17 de outubro;

c) 05 de dezembro.

O lema do Leo Clube é: ______________________

03.O conceito básico de um Leo Clube é:

a) apoiar os projetos dos Lions Clubes;

b) preparar os jovens para que se tornem cidadãos responsáveis, tanto para a comunidade como para o mundo;

c) oferecer um meio pelo qual os jovens possam possam desfrutar de atividades sociais e recreativas.

 

04.Podem os Lions Clubes pagar as taxas dos Leo Clubes com as suas contas de atividades?

a) sim

b) não

05.Os Leos precisam ser filhos de Companheiros ou Companheiras Leão?

 

(respostas no final desta Carta Mensal)

 

 

ALGUNS “PITACOS” LEONÍSTICOS:

01. Até fevereiro de 1921 os negócios da Associação eram tratados no próprio escritório da seguradora pertencente a Melvin Jones. Naquele mês foi transferida para um imóvel alugado na South Michigan Avenue n.º 322, em Chicago. Alí permaneceu até 1955, quando Lions Internacional adquiriu sua primeira sede própria, localizada na North Michigan Avenue n.º 209. Em 01 de junho de 1971 transferiu-se definitivamente para Oak Brook.

02. A homenagem aos fundadores do leonismo é prestada no mês de janeiro.

03. A Associação assumiu seriamente o compromisso de servir aos deficientes visuais após o memorável discurso de Helen Keller, pronunciado em 02/07/1925 no encerramento da IX Convenção Internacional, realizada em Cedar Point, Ohio, Estados Unidos, quando ela concitou os Leões a se tornarem “paladinos dos cegos na cruzada contra a escuridão”.

04. As cores oficiais do Lions são o roxo e o amarelo-ouro. O roxo representa a majestade, a realeza, a lealdade e a integridade. O ouro significa a pureza, a sinceridade, a liberalidade, a generosidade e a caridade. Foram aprovadas durante a I Convenção Internacional.

05. O lema do leonísmo “Nós Servimos”, traduzido do original inglês “We Serve”, foi aprovado pela Diretoria Internacional em 1945, e resultante de um concurso internacional que teve a participação de cerca de 6.000 concorrentes. Oito participantes apresentaram o mesmo lema, sendo escolhido o de autoria de D. A. Stevenson, do Lions Clube de Fonthill, Ontário, Canadá, cuja correspondência foi a primeira, dentre as oito, a ser postada e chegar à sede do Lions Internacional. É a expressão que espelha o objetivo maior do nosso extraordinário movimento.

06.Depois de entrar no Canadá, os três primeiros países que receberam o movimento leonístico foram: o México (em 1925, com a fundação do Lions Clube de Nuevo Laredo), a China (em 1926, com a fundação do clube de Tsingtao, em Tienstein) e Cuba (em 1927, com a fundação do clube de Havana). Após isso houve um hiato de nove anos, e, quando do seu reinicio, o movimento toma um impulso extraordinário, começando pela América Central, com a criação do clube Cristobal Colon, no Panamá, em 1935. Chegou à América do Sul através da Colômbia, em 1936, com a fundação do clube de Barranquilha. Depois foi a vez da Oceania, em 1947, na cidade australiana de Lismora. Na Europa chegou em 1948, com a fundação do clube de Estocolmo, na Suécia. No mesmo ano marcou presença na África, com o clube de Marrakech, no Marrocos. Completando o ciclo mundial, o leonismo chegou na Ásia em 1956, na cidade de Bombaim, na Índia. Está no Brasil desde 16 de abril de 1952, com a fundação do Lions Clube do Rio de Janeiro.

 

 

CLUBES DO DISTRITO LC-6 FUNDADOS EM MARÇO:

Dia 02 – Pedregulho-Usina de Estreito

Dia 03 – Neves Paulista

Dia 09 – Ribeirão Preto

Dia 17 – Palmeira D’Oeste

Dia 19 – Votuporanga-Brisas Suaves

Dia 31 - Cravinhos

 

CALENDÁRIO LEONÍSTICO DE MARÇO:

- Mês do Governador do Distrito

- Mês do Fórum Leonístico das Regiões

- Mês do Lions nas Nações Unidas (data variável)

- Mês das prévias eleitorais nos Clubes

- 15 – Dia do Editor de Publicações Leonísticas

 

CALENDÁRIO CÍVICO DE MARÇO:

01 – Fundação da cidade do Rio de Janeiro (1565)

05 – Criação do Serviço Postal no Brasil

08 – Dia Internacional da Mulher

12 a 19 – Semana Nacional da Biblioteca

15 – Fusão Rio de Janeiro-Guanabara (1975)

21 – Início do outono

25 – Data da outorga da 1.ª Constituição Brasileira (1824)

 

15 DE MARÇO – DIA DO EDITOR DE BOLETIM:

Quando da divisão do Distrito Múltiplo L, após trinta e tantos anos de tentativas, surgiu, entre muitos Companheiros, a desagradável sensação de distanciamento, com a preocupação de arrefecimento do movimento. Surgiram várias propostas. Daí afloraram duas palavras: “Boletim” e “Boletineiro”, que seriam, a meu ver, as bases para evitar o hiato e criarem um traço de união que o leonismo brasileiro iria necessitar.

Cabe aos “Boletineiros” serem o traço de união do leonismo no Brasil, levando seus boletins a todos os Clubes do país, independentemente do Distrito Múltiplo a que pertençam. Amanhã, como ontem e hoje, eles devem ser aplaudidos e incentivados a continuar noticiando, numa salutar troca de informações e experiências que sempre aumentarão toda e qualquer outra iniciativa, como o recém terminado Concurso com resultado tão espetacular que marca fortemente a presença do “Boletim” dentro do nosso leonismo.

            (adaptado pelo PDG Armênio Santiago Cardoso, do Rio de Janeiro, de um texto do saudoso PDG Alexandre Campos Costa e Silva, do Distrito LC-1, escrito em julho de 2006).

 

 ATIVIDADES DO HOSPITAL DE OLHOS DE TAQUARITINGA:

O MJF João Donizetti Furtado, presidente do Hospital de Olhos de Taquaritinga, enviou para esta Coordenadoria relação dos procedimentos executados por aquela unidade em janeiro de 2020 (as de fevereiro ainda não estavam contabilizadas até esta data):

- Tratamento clínico: medicamentos glaucoma = 181

- Procedimentos clíncos: consultas e administração de medicamentos = 1431

- Procedimentos diagnósticos: exames = 2665

- Procedimentos cirúrgicos: cirurgias = 139

 

CUMPRIMENTOS AOS ANIVERSARIANTES DE MARÇO:

Aos aniversariantes de março muita harmonia, saúde e paz. Parabéns e felicidades! Que Jesus abençoe cada um de vocês e seja Guia de todos. Saibam que sua amizade é muito importante para todos nós, e que Deus permita que essa amizade perdure por longos anos.

Um ano inteiro se passa e, quando damos conta, estamos ficando mais velhos. O mais comum e esperado é se comemorar com a família e com os amigos. Se o ano que passou foi bom, comemore todas as conquistas; se não foi muito favorável, comemore pelo próximo ano de vida que está começando.

O aniversário é mais um estágio no desenvolvimento e ocasião propícia para uma introspecção. Precisamos sempre perguntar a nós mesmos qual a distância dos atos que praticamos ou daqueles que ainda podemos praticar e adicionar.

Fazer aniversário é olhar para trás com gratidão e para frente com fé! A todos vocês, aniversariantes de março, que relacionamos abaixo, os cumprimentos e o carinho do DG MJF Antonio Paulo Caliento e toda sua equipe.

NASCIMENTO NOME CLUBE
1/3 CARMEN LUCIA SUAREZ CARDOSO BRODOWSKI
1/3 JORGE LUIS DE OLIVEIRA SERTAOZINHO CENTENARIO
1/3 MARCIO ALCIR BARION MATAO
1/3 SANDRA REGINA FERNANDES OLIMPIA
1/3 SAULO ANDRÉ SILVA JABOTICABAL
2/3 CAETANO ADAMI NETO BRODOWSKI
2/3 CELIA MARIA DOS SANTOS OLIVEIRA BATATAIS
2/3 ELIETE APARECIDA DE O. BOLONHA FERNANDOPOLIS CIDADE PROGRESSO
2/3 MARGARETE CRISTINA CORREIA TOMAS FERNANDOPOLIS
2/3 MARIA CRISTINA ALVES DO CARMO BARRETOS
2/3 YOLANDA DE PAULA RODINI LUIZ RIBEIRAO PRETO
3/3 DEISE ELIAS RIBEIRAO PRETO
3/3 ELISA GARCIA BERTONI IDALGO FRANCA CIDADE NOVA
3/3 EMILIA MITIE SAWAMURA MONTE AZUL PAULISTA
3/3 GUSTAVO ZANETTE OLIMPIA
3/3 HELENA MARIA DA SILVA IJANC JABOTICABAL
3/3 LUIZ FUCHIWAKI IPUA
3/3 THAINARA SILVA INFANTE NHANDEARA ALIANCA
4/3 ANTÔNIO DE PÁDUA BARROS CARDOSO BATATAIS
4/3 DANIENE ALEXANDRE CATOSSO AURIFLAMA
4/3 HELIA G MAGNA RIBEIRAO PRETO
4/3 INES EUZEBIO DA SILVA MIRASSOL
4/3 JOAQUIM FERNANDES MAIA PASSOS
4/3 JOSÉ CARLOS LEITE BRITO MIGUELOPOLIS
4/3 MARIA HELENA CALLEGARI DAMIAO CRAVINHOS
4/3 MARIA JACINTA BRUGNOLI DA SILVA OUROESTE
4/3 USMA MARIA PINTO BRAGA BATATAIS
5/3 AMANDA PITON SIQUEIRA OLIMPIA
5/3 DACIO PRETI JUNIOR VOTUPORANGA BRISAS SUAVES
5/3 EDMILSON HELENO DA SILVA MIRASSOL
5/3 LUCAS LUIZ LEITE DOS SANTOS INDIAPORA
5/3 LUCIANA BOCHI TRISTAO MATAO
5/3 MARISTELA MARANHO ANTONIETO VOTUPORANGA
5/3 NEUSA JARDIM SERTAOZINHO
5/3 REGINA FATIMA GARCIA PARRA FRANCA SOBRAL
5/3 SIDNEI ROBERTO CASIMIRO FERNANDOPOLIS CIDADE PROGRESSO
6/3 CLARICE FERREIRA C ANDRADE FRANCA INOVACAO
6/3 PAULO ANTONIO SECAF RIBEIRAO PRETO
6/3 PAULO HENRIQUE RODRIGUES DE OLIVEIRA VOTUPORANGA
6/3 ROSALINA NORONHA A. NAVARRETE MIRASSOL
6/3 WILSON GEOVANI CAETANO DE SOUZA CINZA BRODOWSKI
7/3 AUGUSTO SANCHES BANZI CATANDUVA
7/3 JESSIE RANGEL FELLONI PINOTI SERTAOZINHO
7/3 JORGE BARBOSA PRADO GUAIRA
7/3 RENATA TRISTÃO ITUVERAVA
7/3 ZEILA DE LAURENTIZ PACIFICO GUARIBA
8/3 CLAUDIO PERES FERNANDOPOLIS CIDADE PROGRESSO
8/3 LUIS HENRIQUE AGUIAR AGOSTINI NHANDEARA ALIANCA
8/3 PEDRO ALVES DE SOUZA JABOTICABAL
8/3 ROBERTO LUIZ DOTTO CATANDUVA
8/3 SOLANGE APARECIDA COTIAN MEIRELES ORLANDIA
9/3 ALANCASTER D OLIVEIRA ANDRE BARRETOS
9/3 EDWARD PEREIRA DOS SANTOS FRANCA DO IMPERADOR
9/3 JOAQUIM MAZETTO MIGUELOPOLIS
9/3 MARIA ANTONIA PERIM GUIMARAES JABOTICABAL
9/3 MARIA LOURDES MARTINS CAMERON CORREA POLONI
9/3 WANY APPARECIDA MIRANDA DE OLIVEIRA GUARIBA
10/3 JOAO EDUARDO DEL GROSSI TAQUARITINGA
10/3 MARCIA APARECIDA ZUANASSI MILANI VOTUPORANGA ABILIO CALILLE
10/3 MARIA HELOISA OLIVEIRA CUCOLICCHIO TANABI
10/3 VALDEIR MARCOS BIZARI PONTAL
11/3 ANGELA RODRIGUES DAMASCENO BATATAIS
11/3 ESTER RODRIGUES BRESEGHELO NHANDEARA
11/3 ISCILA VIETTI AIDAR PITON OLIMPIA ENERGIA
11/3 LUCIA APARECIDA MENDONÇA MIGUELOPOLIS
11/3 LUIZ OCTÁVIO RAMPASSO NARDINI MONTE AZUL PAULISTA
11/3 NEUSA PILA JIMENES CATANDUVA
12/3 ABILIO PAVAN JUNIOR NEVES PAULISTA
12/3 ADHEMAR VARGAS MAXIMO FERNANDOPOLIS CIDADE PROGRESSO
12/3 JOAO ANTONIO REAL JABOTICABAL
12/3 MARIA CRISTINA EVARINI DE CAMPOS GUAIRA AGUAS CORRENTES
12/3 ROSANA BONADIO FERNANDES ORASMO IPUA
13/3 CASSIO FERNANDO BALDUINO DE LIMA NHANDEARA ALIANCA
13/3 MARIA INES DA SILVA DOS SANTOS PASSOS
13/3 NADIR JULIANI ANDRIANI RIBEIRAO PRETO JARDIM PAULISTA
14/3 ADELAIDE CALEGARI JABALI CRAVINHOS
14/3 ALESSANDRA CRISTINA TOMIN LUZ FERNANDOPOLIS
14/3 ALINE PATRICIA BARTOLOMEU BRODOWSKI
14/3 AMAGALI BRESSANIM PALMEIRA D'OESTE
14/3 CAROLINE DE OLIVEIRA GARCIA VOTUPORANGA GRANDES LAGOS
14/3 ELY JESUS T DE SOUZA ICEM
14/3 FLORESMILA MATILDE SOSA VIERA GONÇALVES SAO JOSE DO RIO PRETO
14/3 LELIA CALIXTO CUNHA FRANCA
14/3 MARCELO MAY SPINA CATANDUVA
14/3 WALDEMIR TOLEDO DO CARMO BARRETOS
15/3 CLAUDIOMAR LEONEL DA SILVA MIGUELOPOLIS
15/3 EDELSON LUIZ MARTINUSSI POLONI
15/3 LEONARDO HENRIQUE DE MORAES FERREIRA GUARIBA
15/3 LUIZ AUGUSTO MARTINS MATAO
15/3 MARIA EUNICE MODESTO TRASSI NHANDEARA
15/3 MARLI PEREIRA DOS SANTOS SAO JOSE DO RIO PRETO SUL
15/3 SERGIO A RAMOS DO VAL FRANCA
16/3 ALEXANDRA BERGAMO SPINA CATANDUVA
16/3 CARLA CRISTINA CUZZI FERNANDES JABOTICABAL
16/3 CINIRO APARECIDO GONÇALVES TAQUARITINGA
16/3 DORIS ANTUNES DOS SANTOS FRANCA DO IMPERADOR
16/3 EDSON DE BIAZI OUROESTE
16/3 HELENITA SONIA RODRIGUES PINELLI JABOTICABAL
16/3 JOSE CARLOS OLIVEIRA GUARIBA
16/3 JOSE MARIA MODESTO TAQUARITINGA
16/3 JOSé ANGELO FACCIN PALMEIRA D'OESTE
16/3 LUIZ AUGUSTO VALE VOTUPORANGA
16/3 MARCELO HENRIQUE CORREA FERNANDOPOLIS CIDADE PROGRESSO
16/3 MARINO FERNANDES ROSA FRANCA
16/3 PATRICIA CRISTINA PRANTE MACHADO SÃO SEBASTIÃO DO PARAISO
16/3 RODOLPHO GONCALVES DA SILVA POTIRENDABA
16/3 VANIA CRISTINA DE FREITAS MARTINUSSI POLONI
17/3 GERALDO BONVICINO BARRETOS
17/3 JOSE MILARE DOS SANTOS NHANDEARA
17/3 LUÍS FUMAGALLI SAO JOAQUIM DA BARRA
17/3 MARCELO FERNANDES BOLONHEZE PALMEIRA D'OESTE
17/3 SILVANA MARIA MAZZARIOLI OCTAVIO ORLANDIA
18/3 DEBORA DA COSTA MIGUELOPOLIS
18/3 LUIZ ALBERTO DA SILVA INDIAPORA
18/3 MARINA MARIA TOCANTINS BIANCO JABOTICABAL
18/3 MONICA CARVALHO DE OLIVEIRA MUNHOZ CATANDUVA
18/3 NATALIA RODRIGUES LEAL MURARI VOTUPORANGA
18/3 NIVALDO BORGES DEDEMO ORLANDIA
18/3 VICTOR RODRIGUES DE SOUZA ITUVERAVA
19/3 CLAUDINEIA MARLI CHAGAS VIEIRA MATAO
19/3 LUIZ CARLOS GERALDINI POLONI
19/3 RUVER JOSE PINTER DONADON JABOTICABAL
20/3 ABILIO ANGELO DA SILVA JUNIOR IGARAPAVA
20/3 CLEA DOS SANTOS ITUVERAVA
20/3 FLAVIA GAGLIARDI SPE JABOTICABAL
20/3 GILMAR BIANCO FRANCA DO IMPERADOR
20/3 LUIZ CARLOS SETTI BATATAIS
20/3 MARIA RITA BIGOLOTTI PANOSSO TAQUARITINGA
20/3 MARINA MADALENA DOS SANTOS PEDREGULHO USINA DE ESTREITO
20/3 SHEILA DOS PRAZERES GRAU BRODOWSKI
21/3 ANA LUIZA DEL GROSSI TAQUARITINGA
21/3 ANDREA C. SILVA RAMALHO TAQUARITINGA
21/3 ANDRIGO BARBOZA DE NARDI JABOTICABAL
21/3 APARECIDA D. SANTOS FUMAGALLI SAO JOAQUIM DA BARRA
21/3 EDSON ALVES PEREIRA NHANDEARA ALIANCA
21/3 OSCAR SANTO BRAGA MONTE ALTO
21/3 ROBERTA BARONI ANDRADE AURIFLAMA
21/3 SONIA MARIA GERA FRANCA INOVACAO
21/3 TEREZINHA THEODORO DE SOUZA DAMIÃO PONTAL
22/3 EDNA MARCIA GASQUES VIOLIM TANABI
22/3 FERNANDO GARCIA FRANCA CIDADE NOVA
22/3 JOSÉ ANTONIO FERNANDES JUNIOR JABOTICABAL
22/3 LUCIMARA ALVES TELES FERREIRA SANTA FE DO SUL ESTANCIA TURISTICA
22/3 MARLINE APARECIDA C DE ALMEIDA MONTE AZUL PAULISTA
22/3 SUELI ELIZA MAZOLA MORETI FRANCA SOBRAL
22/3 VALERIA ZOCCAL ALVES NHANDEARA ALIANCA
23/3 FABIO LUIZ COSTA GOSS AURIFLAMA
23/3 FRANCISCO MAGGIO ITUVERAVA
23/3 JOSE EDNO MALTONI GUARIBA
23/3 JOSE VASCO ORLANDIA
24/3 ELIRTES RAUL DOS SANTOS CARDOSO GUARIBA
24/3 VALTER FERREIRA DE OLIVEIRA NHANDEARA
25/3 ANDREIA CARLA PITON OLIMPIA
25/3 BRUNA MIOTO FERNANDES NHANDEARA ALIANCA
25/3 DIEGO SILVA INFANTE NHANDEARA ALIANCA
26/3 ANTONIO MUTTER BORGES MATAO
26/3 GUSTAVO RIBEIRO ROCHA CHAVAGLIA ITUVERAVA
26/3 JOAO JOSE NEVES CARDOZO GUARIBA
26/3 RODOLFO BOLDRIN MARCHAN PALMEIRA D'OESTE
26/3 ROSA MARIE CORREA DOTTO CATANDUVA
26/3 SANDRO CARVALHO DE ARAUJO JABOTICABAL
27/3 ALEXANDRE DOS REIS RAO SERTAOZINHO
27/3 MANUELA DE OLIVEIRA MARINHO PONTAL
27/3 MARCIA REGINA SCHIAVETTO GUIMARAES MATAO
27/3 VALDENIR PASCAL AMENDOLA MIRASSOL
27/3 VILMA GATTáS ALVES FERNANDOPOLIS
28/3 GUSTAVO JOSE GIL ALMEIDA ICEM
28/3 ZENAID GABRIEL DE OLIVIERA GUARIBA
29/3 ALDEMIR DIAS PRADO FRANCA CIDADE NOVA
29/3 MARINA SARAVALLI NEVES PAULISTA
29/3 MATEUS SCAPIM CARDOSO ITUVERAVA
29/3 OSMAIR CARLOS TONINATO PALMEIRA D'OESTE
29/3 OSVALDO MARTINS DA SILVA AURIFLAMA
29/3 PAULA ANGELA AMARAL CAUDURO LAURIA SÃO SEBASTIÃO DO PARAISO
30/3 MARCO ANTONIO CADIOLI MATAO
30/3 SIMONE PASQUIM OLIVEIRA GUAIRA
31/3 EDNA MARIA INACIO SOARES DE OLIVIERA VOTUPORANGA ABILIO CALILLE
31/3 MARIZA SACANI JABOTICABAL
31/3 MAURICIO DE SOUZA BATATAIS

           

RESPOSTAS – QUAL O SEU QI EM LEONISMO:

01.Associação dos Ex-Governadores dos Distritos Múltiplos.

02.05 de dezembro. Liderança, Experiência, Oportunidade.

03.Preparar os jovens para que se tornem cidadãos responsáveis, tanto para a comunidade como para o mundo.

04. Sim. Os LEO Clubes são uma atividade oficial do Lions Clube.

05. Não. A afiliação aos Leo Clubes é aberta para qualquer jovem de bom caráter.

 

Um fraterno abraço a todos e até o próximo mês, se Deus assim o permitir.

                                                                       PDG MJF ANTONIO DOMINGOS ANDRIANI

                                                                           Coordenador Geral do Distrito L

Cc:       Membros do Conselho de Ex-Governadores do Distrito LC-6

1.º e 2.º Vice-Governadores do Distrito LC-6

      Presidentes de Região e Divisão do Distrito LC-6

      Coordenadores, Assessores e Assistentes Distritais do LC-6

      Outros CCLL, CCaLL e DDMM interessados

Próximo Evento 

Time passed:
1
1
6
6
0
0
3
3
4
4
1
1
4
4
8
8

Usuários Online 

Temos 47 visitantes e Nenhum membro online

Login 

Bem Vindo ao Distrito LC-6!

Distrito LC-6

Visitantes

4660479
Hoje
Ontem
Esta Semana
Última Semana
Este Mês
Último Mês
Total
1936
4342
10116
4536204
56048
148686
4660479

Seu IP: 35.175.212.130
11-05-2021 12:41

Curtir No FaceBook 

Scroll to top