PROTEGENDO A VIDA E DIMINUINDO A FOME – COMPROMISSO ASSUMIDO

Proteger a Vida e Diminuir a Fome, têm sido a tônica da Assessoria de Meio Ambiente do Distrito LC6 nesses últimos 11 anos, ressaltamos que temos várias ações que promovem o Meio Ambiente em várias vertentes, haja visto que o nosso cuidado é para com o PLANETA TERRA, considerando que a atenção deve estar nas questões ambientais que atingem a terra, a água e o ar.

Atualmente, buscamos junto à comunidade, principalmente nas ESCOLAS, uma ação focada na conscientização de crianças, jovens e adultos de que precisamos mudar o comportamento em relação ao Meio Ambiente. Temos que acreditar na implementação de uma nova cultura que concilie produtividade industrial, consumo humano, produção agrícola com o equilíbrio na relação com a Mãe Natureza. Em meados do século passado vimos surgir várias ações espalhadas pelo globo terrestre, chamando a comunidade global para um repensar o meio ambiente, haja visto que a população, nos rios, nos oceanos e em terra, estão sentindo a transformação ambiental através das catástrofes ambientais. Surge a partir deste chamado um movimento ambiental.

MOVIMENTO AMBIENTALISTA - Tal Movimento vem combatendo o uso agrícola de pesticidas e inseticidas químicos sintéticos desde a década de 60, quando a bióloga Rachel Carson publicou o livro Primavera Silenciosa (1962), onde atentou sobre o uso indiscriminado de pesticidas e inseticidas químicos sintéticos e o risco que causavam para o meio ambiente. O livro traz à necessidade de uma reflexão sobre a relação entre o homem e a natureza. Hoje corremos contra o tempo, preocupados com o que fazer com as abelhas tão necessárias para a manutenção da vida na flora, onde o desrespeito ao ecossistema é uma prática que gera o desequilíbrio no meio ambiente, colocando em risco a saúde de todos os seres vivos. A fizemos referência as abelhas por ser um tema de relevância para o momento, mas que muito pouco ainda é discutido e o problema enfrentado.

Vimos então, o surgir nos anos 60 de uma mobilização para as questões ambientais, onde a referência é a saúde global, que ano após ano sofre com os abusos de uma produção sem critérios de proteção aos biomas, refletido não somente no aquecimento global, no desaparecimento de espécies da fauna e da flora, como no surgimento de fenômenos pandêmicos que assusta e chama a atenção da comunidade no seu todo para a relação humana com o Meio Ambiente e o SETOR PRODUTIVO INDUSTRIAL, com o surgimento agora no final da primeira década do século XXI do COVID 19 , originário de um ambiente altamente contaminante a vida humana.

O homem sofreu este pesadelo no século XIV com a Peste Negra ou Peste Bubônica, resultado da insalubridade, principalmente nas cidades Italianas, onde milhares de pessoas independente do credo ou razão social, morreram nas ruas sendo amontoadas e queimadas depois. A causa da pandemia foi a água contaminada pelos ratos. Na época a grande causadora de tamanho sofrimento para todos, mas a água foi apenas o agente contaminador, o homem, o sujeito da ação implementou uma urbanização descontrolada, sem planejamento e respeito a vida.

Na década de 70 a ONU em nome do Meio Ambiente Global, lança discussões sobre os conflitos de gestão dos Ecossistemas fazendo referência as catástrofes ambientais e as mudanças climáticas. Tais discussões são temas nas Conferências Internacionais no momento.

A partir de 1980, as comunidades ambientalistas e de pesquisa, são chamadas para contribuir na conscientização da população, apresentando o conceito de desenvolvimento sustentável que propõe uma produção sem o comprometimento das futuras gerações, o que não ocorreu.

Em 1992 através da “Agenda 21” permeada pela “Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento” realizada no Rio de Janeiro, traz à tona a proteção do Planeta Terra e mais uma vez a preocupação com o desenvolvimento sustentável.

No ano de 2002 a “Agenda 21” retorna para mais uma discussão no propósito de manter a vida o que já havia sido discutido e formalizado em 1992 no Rio de Janeiro. Agora em Johanesburgo onde edita-se a ”Declaração de Johanesburgo sobre o Desenvolvimento Sustentável e um Plano de Implementação Sustentável”.

Mais um encontro glamoroso, de muitas discussões e aplausos, no entanto sem a presença de muito dos países responsáveis pela produção sem critérios de proteção ambiental e sim responsáveis pelo aquecimento global.

No Brasil ocorreu de forma virtual, de 27/09/21 a 01/10/21 a Terceira Conferência Brasileira de Mudança Climática (CBMC). Desde 2019 foi instituída e muito discutido sobre como diminuir ou erradicar as emissões do dióxido de carbono (CO2) nas cidades, buscando na iniciativa privada uma porta para o financiamento e, assim a solução pata a questão do aquecimento global, haja visto que contribuímos substancialmente com a questão. O momento requer cuidados básicos de conduta, atitudes claras quanto a contenção do desmatamento e a normatização com regras claras para que as empresas cumpram o que foi instituído na Quarta Conferência Nacional de Resíduos Sólidos de 2013 para a prática da Logística Reversa que responsabiliza as empresas a retirarem os resíduos as embalagens disponibilizadas para mercado para o consumo em geral.

De 01 a 12 de novembro teremos a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26). Aqui, ficamos na expectativa.

São muitas as Conferências e o desfecho sempre o mesmo, quem mais provoca a poluição, o aquecimento global não participa ou protela a sua participação. O Homem é o maior contribuinte para todos os problemas ambientais e, sem dúvidas precisa ser conscientizado e responsabilizado.

Estamos andando em círculos quanto às ações de Sustentabilidade Ambiental, haja visto que, produzimos 7,8 bilhões de kg de lixo todos os dias no globo terrestre, o Brasil é o quarto maior produtor de resíduo sólido no Globo, gerando 79 bilhões de toneladas ao ano, quando 41,64% tem a destinação incorreta, conforme informações obtidas no Ministério do meio Ambiente. Um percentual representativo ainda destinado aos lixões e aos recursos hídricos, criando assim, novos ambientes que possibilitam e contribuem para o surgimento de fungos e algas nocivos a vida.

Produzimos 7,8 bilhões de litros de óleo de fritura ao mês no Globo, produto altamente contaminante e inimigo agressivo dos recursos hídricos, na qual, 1 litro de óleo de fritura polui 25 mil litros de água potável segundo o Ministério do Meio Ambiente.

O Brasil consome 3 bilhões de litros de óleo vegetal ao ano, quando menos de 1% deste óleo tem a destinação final correta, ou seja, 6 milhões e meio de litros. Mais de 200 milhões de litros deste produto altamente contaminante vai para os rios e lagos. Hoje sabemos que este óleo de fritura é o maior poluidor dos nossos rios e lagos.

Parabéns ao Distrito LC6, que em razão do Projeto – Protegendo a Vida e Diminuindo a Fome, que teve início em 2011 até 2020 foram retirados 525 mil litros de óleo de fritura do meio ambiente, produto este, que tem caráter altamente contaminante, principalmente aos recursos hídricos. O Distrito LC6 mantem um contrato de parceria com a Empresa Brejeiro, que retira o referido óleo dos ECOPONTOS do LIONS. A destinação final correta é o biodiesel, quando a referida empresa trocou na proporção de 6x1 (seis litros de óleo de fritura por um frasco 900ml de óleo vegetal ou por um kg de arroz. Foram entregues aos Lions Clubes 87 toneladas de alimentos entre óleo vegetal e arroz, que imediatamente destinados às entidades através dos clubes de serviço que se empenharam em atender ao chamado da proteção a Mãe Natureza e da Diminuição da Fome.

No ano Leonístico 2021/2022 – SEMEAR CONHECIMENTOS, COLHER SERVIÇOS, o casal Governador consegue junto a Empresa Brejeiro um novo acordo, que estará repassando o óleo vegetal e o arroz na proporção de 4x1, isto é, para cada quatro litros deste óleo de fritura a mesma repassará um frasco de 900ml de óleo vegetal ou 1kg de arroz.

Foram retirados 4.370 litros de óleo de fritura do meio ambiente e trocados por óleo vegetal e arroz. Além de estarmos protegendo o Meio Ambiente, foi dado a destinação final correta para este produto/biodiesel e também, mais de 4 toneladas de alimentos foram encaminhadas a comunidade que neste momento se apresentam vulneráveis. Este é também o papel do LIONS – PROTEGER A VIDA E DIMINUIR A FOME.

Vivemos momentos difíceis em razão do COVID 19 que nos afastou do contado direto junto à comunidade e principalmente, por não ter as escolas com os alunos presentes, haja visto que, o Projeto do Distrito LC6 tem como referência a formação de consciência de crianças e adolescentes que serão os grandes formadores de opinião, pois serão os nossos vigilantes do meio ambiente e os que levarão a palavra e a ação de proteção a Mãe Natureza.

Temos no Distrito LC6 todos os CLUBES engajados em Projetos Sociais, quando estamos enxergando que cada vez mais abraçam e se engajam neste Projeto que pratica ações sustentáveis de proteção aos recursos hídricos.

Parabéns aos Clubes engajados no Projeto de Proteção a Vida e Diminuição da Fome e que já retiraram do meio ambiente 4.370 litros de óleo de fritura no mês de agosto, sendo:

LC AURIFLAMA

LC PALMEIRA DO OESTE

LC VOTUPORANGA ABILIO CALILE

LC FERNANDÓPOLIS CIDADE PROGRESSO

LC ALIANÇA

LC OUROESTE

LC NHANDEARA

LC VOTUPORANGA BRISAS SUAVES

LC MIRASSOL

LC NEVES PAULISTA

LC IGARAPAVA

Observação: Devemos enaltecer o trabalho de todos os Companheiros, Companheiras e Leos que estiveram à frente na conscientização, coleta e armazenamento deste produto altamente contaminante. É importante destacarmos a ação do Lions Clube Mirassol que, reuniu 1800 litros de óleo de fritura.

Sabemos que o caminho é o repensar os nossos hábitos. A vida terrestre depende dos cuidados da humanidade, onde a relação entre as pessoas e a natureza acontece em um sistema de trocas que afeta diretamente os ecossistemas e quando acontece o desequilíbrio, podemos imaginar as consequências. O Leão Eco consciente se apresenta enquanto leão construtor de sonhos e de uma vida com mais valor ambiental, com energia para criar novas dinâmicas de comportamento e instituir uma nova cultura onde a família é referência, a escola é referência, as empresas e tantas outras instituições. E dessa maneira, cumprir com o seu papel de SERVIR A HUMANIDADE PROTEGENDO A QUEM NOS DÁ A VIDA – A MÃE NATUREZA.

Próximo Evento 

EDPL 2021/2022 Escola de Dirigentes e Preparação de Líderes 06 a 10 de Junho de 2022
1
1
3
3
0
0
6
6
2
2
9
9
3
3
2
2

Usuários Online 

Temos 89 visitantes e Um membro online

Login 

Bem Vindo ao Distrito LC-6!

Distrito LC-6

Visitantes

6984554
Hoje
Ontem
Esta Semana
Última Semana
Este Mês
Último Mês
Total
3262
6372
15187
6846625
144540
191359
6984554

Seu IP: 35.170.82.159
24-05-2022 12:30

Curtir No FaceBook 

Scroll to top